Ocupação de leitos Covid particulares segue alta, mas tendência é de estabilidade, diz associação

Seis hospitais particulares seguem com 100% de ocupação de leitos de UTI no Ceará

Leitos desocupados
Legenda: Taxa de leitos ocupados é de 87% a 90% em hospitais particulares, diz associação
Foto: José Leomar

Apesar de um aumento de 5% registrado na última semana, a taxa de ocupação de leitos nos hospitais particulares tende a entrar em estabilidade nas próximas semanas, prevê a Associação dos Hospitais do Estado do Ceará (Ahece). O crescimento da curva observado de 7 a 14 de abril, de acordo com o presidente da associação, Aramicy Pinto, ocorreu devido ao desrespeito ao isolamento durante os feriados da semana santa. 

Segundo Aramicy, no dia 7 de abril, 192 pacientes com Covid-19 estavam internados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) dos oito hospitais particulares da associação. Já no dia 14 do mesmo mês, 202 pacientes estavam recebendo cuidados em UTIs.

O aumento, ainda que não tão significativo, também foi percebido nos leitos de enfermaria, que registraram oito pacientes a mais de uma semana para a outra. Os números são coletados semanalmente pela associação. 

Hoje nós já sentimos um platô de estabilidade. Esse platô deveria ter apresentado uma inflexão maior, mas não apresentou. Nós estamos ainda esperançosos que isso aconteça na próxima semana”
Aramicy Pinto
Presidente da Ahece

Infecções na Semana Santa interromperam diminuição de casos

O presidente relata que a diminuição da ocupação de leitos já estava sendo percebida. Por isso, acredita que o aumento da última semana seja reflexo de novas infecções do feriadão no Estado, ocorrido no início do mês de abril.

Conforme divulga Aramicy, a taxa geral varia de 87% a 90% nas UTIs de hospitais associados. Já nas enfermarias, o valor é de 85%, devido à maior oferta de leitos. 

Seis hospitais privados ainda registram 100% de ocupação de UTIs

Pelo menos seis dos 15 hospitais particulares com dados cadastrados na plataforma IntegraSus, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), têm 100% de ocupação de leitos de UTI. As informações foram colhidas na manhã desta sexta-feira (16) e se referem à taxa de internações do dia anterior.

O número de hospitais com 100% de ocupação de UTIs é o mesmo registrado no início do mês. Já os leitos de enfermaria estão totalmente ocupados em dois hospitais. Em 1º de abril, três unidades apresentaram taxa de 100% de ocupação desses leitos.

Maior média de permanência

De acordo com Aramicy, o que influencia na taxa de ocupação de leitos também é o aumento na média de permanência. Na primeira onda, o presidente afirma que a média de dias que um paciente ficava internado era de 25 dias. Na segunda onda, essa média subiu para 35 dias.

Além disso, o presidente da Ahece destaca que o perfil da pessoa que precisa de internação nos hospitais particulares mudou.

Anteriormente, era comum que os internados fossem da faixa etária de 60 a 69 anos. Agora, pessoas de 40 a 49 anos são os principais pacientes das UTIs. 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza