OAB Ceará chega à Reitoria da UFC para dar apoio jurídico a estudantes em protesto

Comissão de Direitos Humanos da OAB foi acionada após denúncias de alunos e professores de que seguranças particulares tentaram intimidar manifestantes

Legenda: Homens sem fardamento nem identificação da equipe de segurança da UFC chegaram a filmar e fotografar manifestantes
Foto: FOTO: HELENE SANTOS

Os protestos contra a nomeação de Cândido Albuquerque como reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC) continuam, na tarde desta segunda-feira (26), e ganham novos contornos. Membros da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Ordem dos Advogados do Brasil Secção Ceará (OAB/CE) chegaram à Reitoria, no Benfica, após denúncias de que seguranças particulares tentaram intimidá-los.

De acordo com os manifestantes e com o presidente da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Ceará (ADUFC), Bruno Rocha, homens sem o fardamento da equipe de segurança da Universidade acompanharam a movimentação na Reitoria e chegaram a filmar e fotografar os discentes e docentes. Questionados pelos professores, eles se dispersaram.

A advogada Lara Costa, integrante da CDH, afirmou que a comissão foi acionada para prestar assistência jurídica aos estudantes e impedir “novas intimidações”. “A comissão permanecerá no local durante todo o dia. A UFC não confirmou se esses homens trabalham aqui, então a ADUFC está encaminhando um ofício à Comissão de Segurança da Universidade, solicitando a lista de quem está trabalhando, para identificá-los”, declara.

Ainda conforme a advogada, a orientação dada aos participantes do protesto é “no sentido preventivo”. “Os funcionários, principalmente, temem alguma retaliação, caso sejam filmados. Estamos dando orientação jurídica para que professores e estudantes estejam resguardados, caso haja algum conflito entre eles e os supostos seguranças.”

Na tarde de hoje, a reportagem do Diário do Nordeste confirmou a presença dos seguranças descaracterizados nas entradas da Reitoria da UFC. 

Reforço na segurança

A Universidade Federal do Ceará afirmou, em nota que a segurança foi reforçada nesta segunda-feira (26) e que todos os seguranças nas dependências da reitoria são do quadro de efetivos e terceirizados da instituição. Disse ainda que somente os terceirizados trabalham uniformizados, enquanto os demais não utilizam uniforme. 

"Em virtude das manifestações, houve, sim, um reforço na segurança da Reitoria, motivado por uma questão de responsabilidade com o patrimônio e com a proteção de todas as pessoas presentes no prédio", coloca. 

Além disso, pontuou também que a assessoria de Cândido Albuquerque manteve contato com as lideranças da manifestação, solicitando abertura de diálogo, mas, conforme o reitor, não houve interesse por parte do movimento em dialogar, "o que demonstra uma intolerância por parte dos manifestantes", diz.

A UFC também informou que entrou em contato com a Ordem dos Advogados do Brasil Secção Ceará (OAB/CE) sobre o envio de representantes para conversar com os manifestantes, mas a OAB confirmou que não houve nenhuma determinação oficial da Ordem para que os advogados comparecessem à reitoria. 

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza