Nove casos suspeitos da 'doença da urina preta' são investigados no Ceará

Segundo a Secretaria da Saúde (Sesa), as amostras dos peixes contaminados foram enviadas para a pesquisa de toxina

Peixes
Legenda: Segundo a Sesa, foram contaminados quatro homens e cinco mulheres
Foto: Reprodução/ Ulrike Leone/ Pixabay

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) investiga nove casos suspeitos de Síndrome de Haff, conhecida como 'doença da urina preta', no Ceará. Os episódios foram notificados até 21 de agosto deste ano. A enfermidade é causada, principalmente, pela ingestão de peixes e crustáceos.

As amostras dos alimentos contaminados foram enviadas para a pesquisa de toxina. A Sesa aguarda confirmação laboratorial.

Até o início de agosto, dois casos eram monitorados.  

Pacientes 

Segundo a Sesa, foram contaminados quatro homens e cinco mulheres, com idade média de 51 anos.

Os sinais e sintomas relatados foram: mialgia de início súbito na região cervical (pescoço, trapézio, dorso) foi citada por quatro pessoas; mialgia de membros inferiores e superiores foi relatada por todos; urina escura também foi relatada por todos; artralgia foi citada por quatro e febre em um.

O que é 'doença da urina preta'

Com causas ainda pouco conhecidas, a Síndrome de Haff se caracteriza por uma síndrome de rabdomiólise (ruptura de células musculares) sem explicação. Isso predispõe ocorrência súbita de extrema dor e rigidez muscular.

Os acometidos pela doença podem apresentar dores musculares intensas, atingindo principalmente a região cervical, membros inferiores e superiores.

Outros sintomas são:

  1. Urina escura;
  2. Falta de ar;
  3. Dormência;
  4. Perda de força no corpo.
Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza