No Dia das Mães, ação leva alimentos e itens de higiene a pessoas em situação de rua em Fortaleza

Mais de 250 beneficiados pela iniciativa do Grupo Amor estiveram na Praça do Ferreira; pandemia fez aumentar população que vive nas ruas, alertam organizadores

Escrito por Antonio Laudenir, laudenir.oliveira@svm.com.br

Metro
Neste período pandêmico, já entregamos aproximadamente 15 toneladas de alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade social.
Legenda: Neste período pandêmico, grupo já entregou cerca de 15 toneladas de alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade social
Foto: Antonio Laudenir

Na data que homenageia todas as mães do mundo, o Centro de Fortaleza foi palco de um gesto humanitário. Ação realizada na Praça do Ferreira distribuiu comida e kits de higiene a pessoas em situação de rua. Organizada pelos voluntários do Grupo Amor, iniciativa atendeu diversas famílias em vulnerabilidade social. 

Mais de 250 pessoas tiveram um domingo de Dia das Mães especial. "Muitas delas, em situação de rua, estão ficando sem comer para poder alimentar os filhos", alerta a fundadora e presidente do Grupo Amor, Livia Barrocas. Vinte e três integrantes do grupo participaram do trabalho solidário na praça. 

Por volta das 16h, a Praça do Ferreira estava cheia. Crianças e idosos, pais e mães conseguiram o único alimento do dia. A iniciativa contou com música e os pequenos puderam realizar atividades lúdicas de pintura. 

Foram entregues porções de cuscuz com calabresa e ovos, salgados, tortas doces, refrigerante e água mineral. Para as mulheres, uma mochila com kits de higiene e rosas com mensagem de carinho. Ao todo, 300 refeições foram distribuídas.

O time de voluntários tinham atenção aos cuidados com álcool gel e organização de fila, pois algumas pessoas não usavam máscaras. Para garantir o distanciamento, uma pessoa de cada vez era atendida.

Tentamos isolar e até organizamos. Mas sabemos ser difícil pedir isso para quem está com fome.
Lívia Barrocas
Fundadora e presidente do Grupo Amor

Pandemia aumentou a fome

O Grupo Amor foi fundado em junho de 2014. Seu objetivo é apoiar e promover dignidade a estes cearenses tão vulneráveis. Atualmente, em cada ação, os voluntários atendem cerca de 250 pessoas. O trabalho oferece alimento, roupas, material de higiene, cortes de cabelo e confecção de currículos. Outra meta do grupo é tentar retirar essas pessoas das ruas. 

No entanto, a situação encontrada hoje é mais grave do que nos anos anteriores. A pandemia do novo coronavírus agravou o problema social e fez crescer o número de famílias que vivem sem ter o que comer e nem onde morar. Neste período pandêmico, segundo os organizadores, foram entregues cerca de 15 toneladas de alimento.

O voluntário Carlos Wesley explica ser visível o aumento de desabrigados com a pandemia. "É preocupante. Vemos os casos de covid crescendo e não temos como controlá-los. Quem tem fome tem pressa", divide. 

"Do início da pandemia para cá, acreditamos que esse número de pessoas nessa situação triplicou. Muita gente, que até pode tem um quartinho, tá desempregado e quando sabe que tem comida aqui corre para cá", compartilha Livia Barrocas.