MPCE começa a apurar desabamento do Edifício Andrea

Órgão estuda documentos dentre eles histórico do imóvel, laudos da perícia e depoimentos de testemunhas

Legenda: Edifício Andrea desabou em 15 de outubro, às 10h28
Foto: José Leomar

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) começou a apurar nesta sexta-feira (18) o caso do desabamento do Edifício Andrea, em Fortaleza. Segundo o promotor Nelson Gesteira, do MPCE, o órgão estuda no momento, todos os documentos, dentre eles, requisições do imóvel, laudos da perícia e depoimentos de testemunhas para adotar providências necessárias. 

“Estamos estudando todos os documentos para embasar nossa opinião. Já estamos em mãos com o histórico do imóvel e todos os laudos já realizados da perícia técnica. Já conseguimos 15 depoimentos de testemunhas também. Tudo isso será verificado para que no fim possamos identificar os responsáveis pelo acidente”, disse. 

Força tarefa de investigação

Segundo Nelson Gesteira, o Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc) foi designado para acompanhar as investigações relativas ao desabamento, assim como o Núcleo de Atendimento às Vítimas da Violência buscando dar total assistência às vítimas. 

O órgão também formou um grupo de promotores das áreas do Meio Ambiente, Cidadania e de Políticas Urbanas e Fundiárias, que vai monitorar as ações junto aos diversos órgãos públicos para elaborar um levantamento da situação de outros prédios que estejam em situação irregular, levando risco à população.

QUARTO DIA DE BUSCAS

As buscas por quatro desaparecidos seguem nesta sexta-feira (18), quarto dia ininterrupto dos trabalhos de buscas por desaparecidos nos escombros do Edifício Andrea. Desde a madrugada, socorristas intensificaram os trabalhos no local e usaram retroescavadeiras para auxiliar na retirada dos entulhos. Até a atualização mais recente, seis pessoas morreram e sete foram socorridas com vida após a tragédia.

Na noite desta quinta-feira (17), a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) emitiu nota sobre a retirada e identificação dos corpos de Maria da Penha Bezerril Cavalcante, de 81 anos, e Roseane Marques de Menezes, de 56 anos, as duas últimas vítimas a serem resgatadas, até a publicação.

CORPOS DE PAI E FILHA RESGATADOS NO MESMO DIA

Os bombeiros resgataram nesta quinta os corpos de Antônio Gildasio Holanda Silveira, de 60 anos, e Nayara Pinho Silveira, de 31 anos. Pai e filha tiveram as identificações reveladas pelo comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Eduardo Holanda

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a procura pelos desaparecidos se concentram em pontos específicos, onde pode haver soterrados com vida, em bolsões de ar.

SOBREVIVENTE PERDE AVÓ E MÃE

Roseane é a sexta vítima do desabamento. É filha de Izaura Marques Menezes, de 82 anos, que teve o corpo localizado um dia após a tragédia, e mãe do jovem Fernando Marques, de 20 anos, o primeiro ferido resgatado com vida dos escombros do prédio de sete andares. O avô dele ainda está desaparecido.

MORTES CONFIRMADAS

1)  Frederick Santana dos Santos, 30 anos, era entregador de água e estava no mercantil ao lado do prédio, no momento do desabamento. Bombeiros confirmaram a morte por volta das 23h30 da noite de terça-feira (15). 

2) Maria da Penha Bezerril Cavalcante, de 81 anos. Bombeiros confirmaram a morte dela por volta das 8h da quarta-feira (16), mas a identificação e o resgate do corpo só foram realizados por volta das 19 horas desta quinta-feira (17).

3) Izaura Marques Menezes, de 81 anos, é avó do primeiro resgatado com vida do prédio, o jovem Fernando Marques. Os bombeiros confirmaram a morte por volta das 17h30. De acordo com a corporação, o corpo foi encontrado ao meio-dia e eles não conseguiram identificar a vítima. A SSPDS, depois, a identificou como Izaura Marques Menezes, após exames de odontologia forense (arcada dentária).

4) Antônio Gildasio Holanda Silveira, de 60 anos, foi identificado por meio da impressão digital. Ele foi retirado dos escombros na manhã da quinta-feira (17).

5) Nayara Pinho Silveira, de 31 anos, foi identificada e teve o corpo resgatado por volta do meio-dia desta quinta-feira (17).

6) Rosane Marques de Menezes, de 56 anos, teve o corpo retirado do local às 21h10, desta quinta-feira (17). Ela é filha de Izaura Marques, terceira vítima confirmada.
 

QUEM ESTÁ DESAPARECIDO

1) Vicente de Paula Vasconcelos de Menezes, de 87 anos. Ele é avô do primeiro resgatado com vida do prédio, o jovem Fernando Marques, e marido de Izaura Marques Menezes, encontrada morta sob os escombros.

2)  José Eriverton Laurentino Araújo, de 39 anos, cuidador dos idosos Vicente de Paula e Izaura Marques Menezes.

3) Maria das Graças Rodrigues, de 53 anos, síndica do Edifício Andrea.

4) Francisco Erivelton dos Santos, técnico de ar-condicionado, que estava no edifício no momento em que desabou.

QUEM SÃO AS PESSOAS RESGATADAS COM VIDA

1) Fernando Marques, 20 anos, foi o primeiro resgatado com vida dos escombros;
 
2) Antônia Peixoto Coelho, 72 anos. Estado de saúde é considerado grave;

3) Cleide Maria da Cruz Carvalho, 60 anos. Foi encaminhada para hospital com ferimentos no corpo. Quadro de saúde é estável;

4) Davi Sampaio, universitário do curso de Arquitetura de 22 anos. O jovem, que sofreu escoriações, fez selfie nos escombros e enviou para a família. Ele teve alta hospitalar na tarde desta quarta (16);

5) Gilson Gomes, 53 anos, trabalhava próximo ao local e estava no mercantil ao lado do prédio, no momento da desabamento. Ele quebrou as duas pernas e está internado no IJF; 

6) Francisco Rodrigues Alves, 59 anos, porteiro e zelador do Edifício Andrea. Ele aparece correndo em um vídeo do momento do desabamento. Está internado no IJF;

7)  João Ycaro Coelho de Menezes, 35 anos, foi resgatado às 15h de terça-feira (15). Ele é sobrinho da idosa Antônia Peixoto Coelho, 72 anos, também resgatada com vida. Ele é engenheiro de computação, teve escoriações no momento do desabamento e foi encaminhado para o Frotinha de Messejana. Ficou em observação, fez exames e teve alta nesta quarta (16). 

Você tem interesse em receber mais conteúdo da cidade de Fortaleza?


Redação 23 de Setembro de 2020