Moradores do Meireles denunciam aglomerações frequentes e poluição sonora depois das 22h

Os relatos são de que o cenário de lotação de pessoas ocorre há um mês naquela área

Desobediência às medidas sanitárias continuam na Capital, principalmente no final da semana. Nas proximidades do Meireles, no entorno da Praia de Iracema, a situação incomoda há quase um mês. Desde o começo de setembro, moradores relatam aglomeração e poluição sonora nas proximidades da Rua João Cordeiro e Rua Padre Clímeiro.

Segundo a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), que acompanha o caso, a multidão ocorre após dois bares encerrarem as atividades. 

Segundo relatado ao Sistema Verdes Mares, centenas de pessoas costumam ir ao local e permanecem “mesmo após o fechamento dos comércios”, que encerram as atividades às 22h. Quando os estabelecimentos descem as portas, a multidão, geralmente sem máscaras de proteção facial, migra para as calçadas na Rua João Cordeiro. O fluxo atraiu barracas de bebida, instaladas no asfalto

“Acaba lá dentro e parece que continua do lado de fora. As barracas já começam a ser montadas de tarde. Elas esperam o movimento quando os bares fecham. São umas dez pessoas vendendo bebidas e comida na rua”, indica a empresária Natália Miranda, 34, moradora de um condomínio próximo ao estabelecimento.

Miranda alega que denunciou a situação para a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) e para a Polícia Militar do Ceará (PMCE), mas a multidão retorna. Por isso, os moradores precisaram criar estratégias para ‘fugir’ do desconforto causado pela aglomeração. “Fazemos as denúncias mas pouca coisa acontece. No último fim de semana, a viatura veio até o local mas quando eles saíram, a festa continuou. Aqui no meu condomínio, quem tem outro canto para ficar durante o fim de semana, vai para esse local. Poucos dormem aqui já que a maioria trabalha na segunda”, confessa a empresária. 

Outra moradora, que pediu para não ser identificada, conta que o público é jovem, e a presença de ‘paredões’ de som é frequente. Ela adiciona que apesar da movimentação ficar mais densa na madrugada, os preparativos começam à tarde e prejudicam a rotina de quem mora próximo aos estabelecimentos. 

“É tanta gente que não conseguimos sair nem para ir na esquina. Ficamos todos trancados em casa. Neste último fim de semana, teve disputa de três paredões de som nos carros. Essas pessoas vem de fora porque quem mora na nossa rua é idoso e não costuma frequentar esses locais”, avalia a mulher, que reside na localidade há 25 anos. 

De acordo com a moradora, mesmo com as fiscalizações, a situação permaneceu. “Ligamos para polícia. A polícia apareceu e conseguiu dispersar com bala de borracha. Teve duas viaturas no local. Dispersou e depois, continuou”.

Ao Sistema Verdes Mares, a Agefis informou, por nota, acompanhar a aglomeração no Meireles. A presença de ambulantes irregulares foi verificada e tanto a multidão quanto as barracas foram dispersada pelas forças de segurança. 

A intervenção indicada pela Agefis foi confirmada pelo Tenente Coronel Marcos Luís, comandante do Batalhão de Turismo (BPTUR). De acordo com o oficial, o efetivo acompanhou a situação dos últimos dias após "um tempo sem receber denúncias". "Tivemos alguns problemas prontamente atendidos após a denúncia ao 190. Recebemos ontem após um tempo sem denúncia. Agora, passaremos a agir com mais frequência", adiciona o tenente. 

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS) também foi procurada sobre o assunto mas, até o fechamento da reportagem, não enviou resposta.   

Balanço

Além do monitoramento noturno realizado no Meireles, durante o último fim de semana, a Agefis notificou um bar no bairro Cristo Redentor, além de um estabelecimento na Maraponga. Ambos funcionavam irregularmente “descumprindo as medidas dos decretos estadual e municipal de enfrentamento à Covid-19”. No caso do comércio no Cristo Redentor, como a movimentação obstruía espaço público, as mesas e cadeiras foram apreendidas. 

Denúncias de poluição sonora também foram registradas em Fortaleza. Um posto de gasolina na Avenida Pontes Vieira foi fiscalizado e notificado. Dois flagrantes foram constatados também no Parque Manibura, com apreensão de um paredão de som. A população pode denunciar situações de descumprimento das medidas sanitárias de enfrentamento à Covid-19 por meio do telefone 190.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza