Inventário da fauna cearense disponibiliza consulta a 1.300 espécies; lançamento será nesta sexta

Plataforma online da Secretaria do Meio Ambiente do Ceará (Sema) ficará à disposição de pesquisadores, estudantes e público em geral, com detalhamento sobre espécies de mamíferos marinhos, animais vertebrados, répteis e anfíbios

Tartaruga
Legenda: Espécies encalham por ferimentos ou contato com poluição
Foto: divulgação

Cerca de 1.300 espécies de animais, entre mamíferos marinhos, vertebrados, anfíbios e répteis, aves e peixes, ficarão disponíveis para consulta pública a partir deste sexta-feira (26), com o lançamento de uma plataforma online com o inventário da fauna cearense. A divulgação oficial ocorrerá no canal do YouTube da Secretaria do Meio Ambiente do Ceará (Sema), às 14h.

Com foco na democratização do acesso a conteúdos científicos e acadêmicos, o inventário compila coleções, publicações científicas e trabalhos de campo feitos nas últimas décadas. Assim, qualquer pessoa pode acessar o conteúdo sem que seja necessário realizar cadastro. Os dados serão atualizados permanentemente no site pelos pesquisadores, de acordo com o surgimento de novos registros de espécieis. 

“Ele vai ajudar tanto em novos estudos para conservação dessas espécies, como em estudos na área de biotecnologia. Porque a maioria dessas espécies possue potencial para produção de remédios, fármacos e novas substâncias”, explica o professor Marcelo Soares, do Instituto de Ciências do Mar (Labomar) da UFC e Cientista-chefe em Meio Ambiente do Governo do Estado do Ceará. 

Programa cientista chefe

A iniciativa é uma parceria entre pesquisadores da Universidade Estadual do Ceará (Uece), da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis), com financiamento da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Técnico e Científico (Funcap) e faz parte do Programa Cientista Chefe, que procura unir o meio acadêmico e a gestão pública. 

De acordo com o secretário da Sema, Artur Bruno, através deste programa, equipes de pesquisadores passam a trabalhar nas secretarias ou órgãos estratégicos do Governo do Estado para identificar soluções por meio da ciência, tecnologia e inovação, que possam ser implantadas para melhorar os serviços e, desta forma, dar mais qualidade de vida para a população.

O próximo passo, segundo Artur Bruno, é a divulgação da lista dos animais silvestres ameaçados de extinção no Ceará.

“Nos próximos meses, nós buscamos a chamada lista vermelha dos animais silvestres, ou seja, com esse trabalho nós saberemos exatamente quais são os animais que estão ameaçados de extinção e que estão numa situação de vulnerabilidade”, afirma.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza