Internet das Coisas traz oportunidade de atuação em diferentes áreas

O número de dispositivos baseados em Internet das Coisas segue crescendo. Curso universitário é caminho para trabalhar na área

Escrito por Agência de Conteúdo DN,

Metro
Legenda: O conceito de Internet das Coisas foi criado em 1999 e atualmente é utilizado em diversos campos
Foto: Shutterstock

A cada dia, a quantidade de dispositivos conectados à internet cresce no cotidiano dos usuários. Seja o relógio que informa se o usuário teve uma boa noite de sono ou a lâmpada inteligente que muda de cor de acordo com a necessidade de luz, a automatização do dia a dia é cada vez mais constante. Dessa forma, essas práticas estão dentro do conceito de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês), que simboliza a conexão on-line de itens variados. 

De acordo com Joel Sotero, professor do curso de Engenharia de Controle e Automação da Universidade de Fortaleza (Unifor), o conceito de IoT foi criado em 1999 e atualmente é utilizado em diversos campos, não somente em dispositivos para uso casual. “Alguns outros exemplos estão presentes em nosso dia a dia de forma indireta, como a otimização de processos industriais. A inserção da IoT nas indústrias possibilita uma análise mais detalhada dos processos e propiciam melhorias que impactam diretamente nos preços finais dos produtos de maneira geral”, comenta. 

Para se ter uma dimensão desse mercado, a projeção de aumento no número de dispositivos baseados em IoT conectados é de 9% para este ano, segundo informações do portal IOT Analytics, com mais de 12 bilhões de conexões. Até 2025, a expectativa é de que esse número chegue a 27 bilhões.  

O professor ressalta que a expansão de tecnologias que se enquadram no conceito de Internet das Coisas também proporciona a otimização de atividades diárias, por meio da automação residencial, por exemplo. “Hoje em dia é mais comum vermos luzes inteligentes, sistemas de alarmes e TVs, mas já existem diversos eletrodomésticos com tecnologia IoT que poucos conhecem. Em alguns anos pode ser comum os eletrodomésticos tomarem decisões automaticamente, como, por exemplo, uma geladeira detectar a falta de algum produto e fazer um pedido on-line para se reabastecer automaticamente.” 

Em relação ao uso de IoT nas indústrias, o professor explica que entre os benefícios trazidos estão melhores diagnósticos dos processos, o que traz uma eficiência maior para a produtividade das fábricas.  

Internet das Coisas na universidade 

No campo universitário, a aplicação de IoT pode ser realizada no curso de Engenharia de Controle e Automação. No caso da Unifor, o curso introduz o tema já nos primeiros semestres. Segundo Joel Sotero, os estudantes trabalham com desenvolvimento e prototipagem de dispositivos, aprendendo desde a modelagem mecânica, criação de sistemas eletrônicos até a programação de softwares e sistemas embarcados.  

 Além da IoT, os alunos também são capacitados para trabalhar em áreas como projetos mecânicos, elétricos, eletrônicos e de computação. “Com o avanço da tecnologia, cada vez mais a tendência é termos processos automatizados, como cancelas automáticas, caixas de supermercado automatizados, casas automatizadas e indústrias automatizadas. A cada dia que passa, surgem novas tecnologias que, de alguma forma, otimizam um processo adicionando um sistema inteligente nessa interface. Esses sistemas inteligentes podem ser desenvolvidos pelos engenheiros de controle e automação.” 

Saiba mais sobre o curso de Engenharia de Controle e Automação da Unifor 

Assuntos Relacionados