De espirros frequentes a diarreia: veja mudança de sintomas da Covid em vacinados com 2 doses

Pesquisadores alertam que formas mais brandas da doença podem mascarar a transmissão a pessoas ainda vulneráveis ao vírus.

Pessoa espirrando e com lenço no nariz
Legenda: Isoladamente, o espirro não explica Covid, mas precisa ser monitorado quando ocorre junto a outros sintomas.
Foto: Thiago Gaspar

Nenhuma vacina contra a Covid-19 é 100% eficaz, mas ajudam os indivíduos a se protegerem de formas graves da doença e de requererem internamento hospitalar. Ou seja, mesmo quem se vacinou com as duas doses pode ser infectado, e aparentemente há sintomas diferentes da forma como ela se manifesta nesses indivíduos..

O alerta é do Grupo Ação Covid-19, coletivo interdisciplinar formado por 25 pesquisadores brasileiros, vinculados a 13 instituições pelo mundo, com base no estudo Zoe Covid Symptom, do Reino Unido.

Após a avaliação de 2.278 adultos que testaram positivo após o esquema vacinal completo, os pesquisadores listaram os novos sintomas mais observados:

  1. Dor de cabeça
  2. Nariz escorrendo
  3. Espirros
  4. Dor de garganta
  5. Perda de olfato
  6. Fadiga
  7. Tosse
  8. Diarreia

 

O estudo destaca o espirro como um sintoma diferente e que pode ser muito eficaz na transmissão da Covid-19. “Esses novos sintomas, por parecerem mais um resfriado do que a Covid tradicional, poderiam ser ignorados pela pessoa infectada”, informa o Grupo brasileiro. 

“Isso é problemático, pois esta pessoa pode transmitir o coronavírus a outras, aumentando o risco de surtos entre os que ainda não se vacinaram e de surgimento de variantes perigosas”, alertam os pesquisadores.

Eles recomendam o monitoramento desses sinais, que isoladamente não significam a infecção, e realizar testes diagnósticos quando possível.

Variante Delta

No Ceará, a segunda onda vivenciada desde o início de 2021 teve como principal agente a variante Gama, oriunda de Manaus. Na última quinta (29), a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) confirmou que o Estado recebeu pessoas infectadas com a variante Delta, relatada pela primeira vez na Índia.

Se você tem uma variante que é mais transmissível, nós temos que redobrar os cuidados para tentar barrar esse aumento vertiginoso dos casos, como infelizmente a gente vem observando em alguns estados americanos, mesmo com um número maior de vacinas do que o Brasil.
Edson Teixeira
Imunologista e professor da UFC

Sintomas clássicos

Desde o começo da pandemia, segundo o Ministério da Saúde, os principais sintomas reportados por quem contraiu Covid-19 (sem estar vacinado) são:

  • Dor de cabeça
  • Febre alta
  • Calafrios
  • Tosse persistente
  • Desconforto respiratório
  • Perda de olfato e paladar

 

Com o processo de vacinação avançando, ainda que lento, especialistas alertam que pacientes com sintomas leves podem circular e transmitir mais, o que acaba favorecendo a predominância de variantes menos sintomáticas, mas com capacidade maior de infecção.

O imunologista Edson Teixeira, professor da Universidade Federal do Ceará (UFC), reitera que a variante Delta provavelmente está circulando e as pessoas estão viajando, independente do meio de transporte. 

"O que nós precisamos fazer - e a gente da ciência tem falado disso desde o ano passado - é acelerar o processo de vacinação o máximo possível, porque as pessoas só estarão completamente protegidas depois da segunda dose. Além de manter todos os cuidados não-farmacológicos que nós estamos repetindo há mais de um ano: o uso obrigatório de máscara, a higienização das mãos e o distanciamento sempre que possível”, recomenda.

Vale lembrar que o potencial total da vacina é atingido em cerca de duas semanas após a imunização, como estima a Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim).

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Assuntos Relacionados