Covid-19: em um mês, número de pacientes internados quase dobra em leitos de enfermaria no Ceará

Ocupação de unidades e leitos disponibilizados para atendimento também foi crescendo ao longo das últimas semanas.

Legenda: Leitos de enfermaria atendem a pacientes com quadros moderados da doença.
Foto: Helen Santos

Não é só a situação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) específicas para Covid-19 que preocupa no Ceará. Os leitos de enfermaria também vêm registrando sucessivas altas de ocupação e atingiram, na última segunda (15), o maior percentual desde o início do ano, de acordo com a plataforma IntegraSUS, alimentada pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

Os leitos de enfermaria acolhem pacientes com quadros moderados da doença. Na segunda, a ocupação deles atingiu 62,42%, quase 20 pontos percentuais a mais do que o registrado há um mês, em 15 de janeiro, que contabilizou 43,49%. O índice também é 30 pontos percentuais maior do que o dia 2 de janeiro, o menor do ano até o momento, com ocupação de 31,16%. 

O número de pacientes internados nessas unidades cresceu no mesmo período. Ontem, havia 975 pessoas acolhidas, o triplo do registrado em 2 de janeiro, que teve 263, e quase o dobro de 15 de janeiro, com 508 internados.

No mesmo período, a disponibilidade de leitos ativos acompanhou o fenômeno: saltou de 844, em 2 de janeiro, para 1.168, no dia 15 daquele mês, e agora já chega a 1.562, segundo o IntegraSUS.

O secretário estadual da Saúde, Dr. Cabeto, fez um alerta sobre a pressão na rede assistencial, na última sexta-feira (12), e reiterou que o Governo do Estado tem buscado a ampliação de leitos para acolher uma demanda crescente.

“Nós já nos aproximamos, em número de casos, a números em torno de 70% ao que tivemos no começo da pandemia, em abril e maio do ano passado. Isso chama atenção. Aprendemos, ao longo do tempo, a tratar melhor os pacientes com Covid-19, mas quando esse sistema se sobrecarrega, o risco pode aumentar”, destacou.

Situação parecida na Capital

O cenário é semelhante ao vivenciado por Fortaleza, embora a Capital exiba percentuais mais altos de ocupação nas enfermarias relação ao Estado. Na segunda, ela chegou a 82,39%, bem maior que os 65,36% de 15 de janeiro e os 43,37% de 2 de janeiro, também o menor de 2021.

Em números absolutos, o número de pacientes internados nas unidades oscilou de 121, no início do ano, para 351, há um mês, até chegar a 702, ontem. A quantidade de leitos ativos disponíveis seguiu a tendência: passou de 279 para 537 e, atualmente, chega a 852.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza