Ceará pode comprar vacinas contra Covid direto de laboratórios em abril, projeta secretário

Aquisição depende de disponibilidade de doses pelas empresas internacionais e de aprovação de projeto de lei prevendo permissão; Estado deve iniciar produção de vacinas em 2022

Ceará deve comprar doses de vacina da Pfizer
Legenda: Doses de vacinas como a da Pfizer podem ser compradas pelo Ceará em abril de 2021
Foto: Justin Tallis / AFP

Para acelerar a imunização da população contra a Covid-19, o Ceará planeja comprar doses diretamente de laboratórios internacionais, sem intermédio do Ministério da Saúde. A aquisição pode acontecer já em abril, caso as empresas disponham de estoque, segundo o titular da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), Dr. Cabeto.

De acordo com o gestor, o Ceará mantém diálogo com as empresas há meses e fez propostas aos laboratórios internacionais para ter prioridade na compra das doses, que vão complementar a fase 3 de imunização no Estado. 

“Por que fazer isso, se temos vacinas do Butantan e da Fiocruz? Porque o tempo é muito importante. Quanto mais rápido nós vacinarmos, maior a proteção social, menor o número de casos e óbitos. Temos tratado isso com prioridade”, explica o secretário.

A compra direta dos imunizantes validados também depende da aprovação do projeto de lei 534/2021, apresentado terça-feira (23) pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. O PL propõe permitir a compra de vacinas contra o coronavírus por empresas privadas, estados e municípios.

O uso do imunizante produzido pela Pfizer, por exemplo, está previsto pela Sesa no Plano de Operacionalização para Vacinação contra Covid-19. A vacina obteve registro definitivo pela Anvisa nessa terça-feira (23).

VACINÔMETRO NO CEARÁ | COVID-19

Aquisição direta com laboratórios

Em publicação nas redes sociais na tarde desta quarta-feira (24), o governador Camilo Santana afirmou que tenta, junto ao Ministério da Saúde, o envio "mais rápido possível" e "em grande quantidade" de vacinas. Entretanto, para além das trativas federais, o chefe do Executivo Estadual pontua que tem conversado sobre aquisição direta das doses desde o ano passado, para "caso o Plano Nacional de Imunização não seja suficiente".

"Enviamos ofício para a Pfizer; assinamos memorando de entendimento com o Instituto Butantan; temos conversado constantemente com a Fiocruz; e feito contato com laboratórios chineses que têm produzido o imunizante. Além disso, por meio do Consórcio Nordeste, estamos em tratativas com o fabricante da vacina Sputnik, da Rússia", escreveu o governador.

Camilo finalizou a publicação afirmando que "não vai descansar um minuto até que todos os cearenses estejam imunizados". 

Ceará deve produzir vacinas em 2022

Além de prever a compra independente de vacinas, o Estado também projeta iniciar a produção própria do ingrediente farmacêutico ativo (IFA) para obtenção dos imunizantes, segundo revela o secretário da Saúde.

“Temos um projeto junto com a Bio-Manguinhos para implantar uma fábrica de vacinas aqui. O Ceará faria a produção dos IFAs, e o engarrafamento seria no Rio de Janeiro. Isso está em curso, deve iniciar ainda neste ano, para que a partir de 2022 o Estado também tenha capacidade de produção”, estima Dr. Cabeto.

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza