Áreas de Fortaleza amanhecem cobertas por fumaça após incêndio no Parque do Cocó

Combate às chamas na unidade de conservação já duram mais de 17 horas em função de ventos intensos que chegam a 31 km

Escrito por Felipe Mesquita e Leabem Monteiro, metro@svm.com.br

Metro
incêndio no Parque do Cocó
Legenda: Vias ao lado da unidade de conservação têm visibilidade comprometida
Foto: Fabiane de Paula

Vias próximas ao Parque do Cocó, em Fortaleza, amanheceram nesta quinta-feira (18) cobertas por fumaça e com forte cheiro de queimada. A situação é reflexo das chamas que atingiram pelo menos 20 hectares de vegetação na noite de quarta-feira. Cerca de 17 horas após o início do fogo, ainda há "focos remanescentes" no local. 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que não foi necessária a interdição de rodovias federais no entorno. 

Por volta das 10h20, o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE) informou que o "incêndio tem focos aparentes, mas também muitos subterrâneos e alguns em copa". "Nesse momento só temos incêndio na região da Salinas", esclareceu. 

Alcance da fumaça

As avenidas Murilo Borges com Rogaciano Leite e Murilo Borges com Raul Barbosa (rotatória) foram bloqueadas nos dois sentidos pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) por causa da nuvem de fumaça espalhada pelos ventos intensos. 

Uma das áreas mais afetadas pelo incêndio, a avenida Raul Barbosa tem visibilidade comprometida, como relatam condutores de veículos e motocicletas que trafegam pelo local.

fogo no parque do Cocó
Legenda: Aeronave da Ciopaer realiza sobrevoo em área devastada pelas chamas
Foto: Fabiane de Paula

Os resquícios do incêndio também são notados nos bairros Aerolândia, Aldeota, Guararapes, Dionísio Torres, Meireles, Fátima e Damas. 

Governador e prefeito acompanham caso

Nas redes sociais, o governador Camilo Santana (PT) informou que acompanha o caso e que determinou "apuração rigorosa sobre as causas do incêndio".

 

Já o prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira (PDT), encaminhou-se ao parque na tarde desta quinta para companhar os trabalhos do Corpo de Bombeiros. Nas redes sociais, o gestor municipal disse estar em contato com Camilo para apurar as causas do fogo. 

Via segue interditada e duas linhas de ônibus são desviadas

Com a interrupção do tráfego, a AMC orienta que os condutores no sentido Leste-Oeste e Oeste-Leste utilizem vias alternativas, como as avenidas Oliveira Paiva e Pontes Vieira, para ter acesso às avenidas Raul Barbosa e Rogaciano Leite. 

Os coletivos também tiveram itinerários alterados. A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) realizou o desvio temporário das linhas 066-Parangaba/Papicu/Aeroporto e 625-Parque Manibura/Borges de Melo. 

Já no sentido Parangaba, os ônibus seguem pela avenidas Rogaciano Leite, Antônio Sales, Rua Beni de Carvalho, Avenida Desembargador Moreira e Raul Barbosa.

"O desvio temporário destas duas linhas de ônibus permanece até a liberação do trânsito no local", complementou a Etufor. 

Vegetação queimada

As equipes do CBMCE solicitaram apoio operacional de um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer). Já a AMC foi demandada para organizar a mobilidade na via, que tem fluxo lento de veículos. 

"Atingiu uma área maior, mas principalmente porque a vegetação mais atingida foi a verde. Nós também temos uma capa de húmus, uma parte de vegetação que cobriu as raízes e também está queimando", explica o tenente-coronel Osvaldo sobre a intensidade das chamas. 

Ainda conforme ele, o trabalho dos bombeiros deve avançar na Avenida Murilo Borges "para tentar outros pontos de combate". 

 

Ventos dificultam contenção das chamas

Às 10h, cerca de 16 horas após o início das chamas, quatro dos 12 focos do incêndio no Cocó continuam recebendo bolsas de 500 litros de água disparadas pelo helicóptero da Ciopaer. A informação foi repassada ao Diário do Nordeste pelo tenente Fideles Dutra. 

No entanto, os ventos a 31 km aumentam a combustão do fogo e, consequentemente, espalham fumaça por uma maior extensão territorial.

"A aeronave está sendo fundamental. Evita que [o fogo] se alastre e até apaga o fogo em muitos momentos, mas o negócio é dinâmico. O vento a 31 km/h não ajuda no momento, leva a fumaça mais longe, aumentando o incômodo e a dificuldade de respirar", explica. 

incêndio no parque do cocó em Fortaleza
Legenda: Bombeiros continuam em operação para dissipar as chamas na manhã desta quinta-feira (18)
Foto: Halisson Ferreira

Via redes sociais, o prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira, ressaltou que o Executivo municipal monitora a situação no Cocó e disponibilizou agentes da AMC e da Guarda Municipal para o local. "Coloquei-me à disposição do Governo do Estado para o que mais for necessário". 

Sarto comenta incêndio no Cocó
Legenda: Prefeitura de Fortaleza monitora situação no local, diz Sarto
Foto: Reprodução

Impactos

Segundo a comerciante do São João do Tauape, Marilene da Silva, a fumaça impediu a permanência de clientes na venda de lanches.

"Veio gente merendar aqui, mas não conseguiu, porque a fumaça está muito grande. O pessoal passa direto por causa da fumaça que está fazendo mal para todo mundo", lamenta. 

incêndio no parque do cocó em fortaleza nesta quinta-feira (18)
Legenda: Bombeiros ainda debelam focos remanescentes do incêndio
Foto: Fabiane de Paula

Além do impacto no comércio, moradores também apontam que o incêndio atrapalhou a prática de atividades físicas e até aulas em escolas da região. 

Legenda: Fumaça espessa foi registrada das redondezas do Parque do Cocó
Foto: Fabiane de Paula
Legenda: Com o vento, a fumaça se espalhou para outros bairros da Capital
Foto: Fabiane de Paula
Legenda: Excesso de fumaça prejudicou atividades humanas nas redondezas do parque
Foto: Fabiane de Paula
Legenda: População que passava pelas redondezas tiveram de inalar fumaça do incêndio
Foto: Fabiane de Paula
Legenda: Visibilidade de quem trafegava pela região do parque também ficou comprometida
Foto: Fabiane de Paula
Legenda: Um helicóptero da Ciopaer sobrevoou a área atingida para fazer análise da situação
Foto: Fabiane de Paula
Legenda: Vegetação à margem do rio Cocó também foi atingida pelas chamas
Foto: Fabiane de Paula
Legenda: Helicóptero da Ciopaer tenta controlar as chamas
Foto: Fabiane de Paula

"Eu sou alérgica e não aguentei caminhar e nem fazer um esporte. Os colégios mandaram voltar as crianças para casa", afirma Lene Costa. 

Em nota à reportagem, porém, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) esclareceu que "as escolas estão em atividade. Não há registro de suspensão de aulas devido ao incêndio". O Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Ceará (Sinepe-CE)  também pontuou que não tem conhecimento de unidades com aulas canceladas.

Já na rede municipal de ensino, cinco escolas tiveram as aulas suspensas devido ao incêndio: duas no São João do Tauape, duas no Lagamar e uma no Pio XII. Veja quais foram:

  1. Escola Municipal Nossa Senhora do Sagrado Coração, no São João do Tauape
  2. Escola de Tempo Integral Ambiental Dra. Francisca de Assis Canito da Frota, no São João do Tauape
  3. Escola Municipal Almerinda de Albuquerque, Pio XII
  4. Escola Municipal Yolanda Queiroz, Lagamar
  5. Centro de Educação Infantil Airton José, Lagamar 

Segundo a Secretaria Municipal da Educação (SME), as atividades presenciais foram suspensas só nesta quinta (18), devendo voltar à normalidade amanhã (19).

fumaça em bairros de fortaleza
Legenda: Área ao lado do Cocó ainda está tomada por fumaça
Foto: Halisson Ferreira

Fogo

As chamas no Parque do Cocó tiveram início por volta das 18h dessa quarta-feira (17) na altura da Avenida Raul Barbosa, no bairro Aerolândia. O major Francivaldo Melo, do CBMCE, ponderou que esse tipo de incêndio é geralmente causado "por ação humana".

O fogo causou lentidão no trânsito. O vento que estava no sentido leste-oeste acabou levando a fumaça para o lado da rodovia BR-116.

A fumaça do incêndio se espalhou por diversos bairros da Capital, como Damas, São João do Tauape e Dionísio Torres, Montese e Vila União.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou, em nota, que o incêndio é investigado pela Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE).

Segundo a Pasta, equipes do Corpo de Bombeiros e uma aeronave da Ciopaer seguem atuando no local a fim de debelar as chamas.

Já a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) também foi acionada para coletar indícios que subsidiarão as investigações. Equipes da DPMA estão em diligências para apurar as circunstâncias do incêndio.