Após incêndio, prédio do TJCE tem estabilidade; Perícia da área mais afetada ainda será concluída

A Superintendência de Obras Públicas do Estado (SOP) entregou o relatório à presidente do TJCE nesta segunda-feira (27). O risco de dano global ou parcial é considerado médio, o que possibilita a recuperação estrutural do prédio.

Incêndio no tribunal de justiça do ceará
Legenda: Na análise, foi avaliado o concreto da estrutura para que fosse comparada a resistência dos pilares atingidos com a dos não atingidos pelo fogo.
Foto: Ascom/Corpo de Bombeiros

Após o incêndio ocorrido na madrugada do dia 6 de setembro, o prédio do Tribunal de Justiça do Ceará, localizado no Cambeba, em Fortaleza, tem boa condição estrutural em relação à estabilidade global, conforme relatório elaborado pela Superintendência de Obras Públicas do Estado (SOP).

O documento foi entregue à presidente do TJCE, desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira, nesta segunda-feira (27). Mas, a perícia no prédio será concluída somente após o escoramento da área mais afetada.

Segundo o Tribunal de Justiça, o documento encaminhado pela SOP indica estabilidade da edificação no estado atual da estrutura. A exceção são as regiões onde houve comprometimento de pilares localizados em um dos lados da fachada do prédio.

O relatório, conforme o TJCE, indica ainda que a estrutura não registrou deformações contínuas.

Na vistoria que resultou no documento houve a análise de concreto da estrutura, pela área da Engenharia Civil. Em uma das etapas, o material foi retirado para que fosse comparada a resistência dos pilares atingidos com a dos não atingidos pelo fogo. 

De acordo com o TJCE, o relatório da SOP aponta que “a maioria dos elementos estruturais internos (pilares, vigas e lajes) apresenta boa condição em relação à integridade estrutural, sendo necessária a adoção de algumas medidas para garantir a estabilidade de todo o conjunto”. 

Recomendações

No documento consta ainda recomendações como escoramento, remoção de concreto e recomposição das armaduras, caso seja necessário. Há indicação também de que o risco de dano global ou parcial é considerado médio, o que possibilita a recuperação estrutural do prédio

Outros estudos complementares da estrutura deverão ser realizados por técnicos especialistas, e, segundo o TJCE, equipes da engenharia do Tribunal e da SOP já iniciaram estudos em relação à reforma e à modernização. O serviço deverá contemplar também a ampliação da estrutura.

Entenda o que houve

No dia 6 de setembro, por volta das 4h, um incêndio atingiu a sede do Poder Judiciário Estadual, que fica no Centro Administrativo do Cambeba. O fogo conforme nota emitida pelo TJCE à época, começou pelo setor de almoxarifado, no térreo, e se espalhou por dois andares. Não houve feridos. 

O Corpo de Bombeiros montou uma força-tarefa para debelar as chamas, com cerca de 60 homens. Após a situação ser controlada, no dia 6 de setembro, a Defesa Civil de Fortaleza interditou o prédio por considerar haver risco de desabamento da estrutura.

Desde então, o prédio do TJCE foi interditado e, no dia 8 de setembro, a presidência do órgão foi transferida temporariamente para o Fórum Clóvis Beviláqua, no bairro Edson Queiroz, em Fortaleza.  

No dia 23 de setembro, uma reunião decidiu que Fórum Clóvis Beviláqua também passará a abrigar os gabinetes de desembargadores do TJCE e receberá a sala do Órgão Especial e das Sessões das Câmaras. O prédio já passa por adaptações. 

 

 

 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza