Diferentemente da 1ª onda, alta de casos de Covid ocorre simultaneamente na Capital e no Interior

Capital registrou maiores números da doença antes do resto do Ceará em 2020. Taxas de casos e óbitos tiveram "aumento crescente" em todo o Estado no fim de semana

Testagem de Covid-19 no Ceará
Legenda: Secretaria executiva reforça necessidade de testagem após aparecimento de sintomas da doença.
Foto: José Leomar

O Ceará continua tendo "aumento crescente" de casos confirmados e óbitos pela Covid-19. Nos números atuais, o que chama atenção das autoridades sanitárias é que a situação é diferente da primeira onda, registrada em 2020, quando Fortaleza passou pela alta nas taxas da doença antes do resto do Estado.

"Uma característica peculiar desse segundo momento que a gente tá vivendo no Ceará em relação à epidemia de Covid, é que, diferentemente daquele primeiro momento, em que a gente teve um aumento somente na Capital para depois haver no interior, nesse momento a gente tá com epidemias simultâneas", afirmou Magda Almeida, secretária executiva de Vigilância e Regulação da Secretaria Estadual de Saúde, nesta segunda-feira (22).

As internações e mortes tiveram alta em todas as regiões do Estado. Magda Almeida pontuou também que, embora haja alguns municípios com alerta moderado na região do Cariri, há cidades com alertas do tipo alto e altíssimo no resto do Estado.

A secretária executiva ressaltou a importância da testagem para que a doença seja monitorada em território cearense. "As prefeituras disponibilizam através dos seus centros de testagens e das unidades básicas a realização do teste de swab (cotonete)", indica, alertando que os exames devem ser realizados logo após o aparecimento de sintomas.

Em Fortaleza, as testagens continuam na Praça do Ferreira, no Centro, que funcionam por demanda espontânea, e os drive-thrus do HGF e do RioMar Kennedy, os quais funcionam por agendamento por meio do Saúde Digital.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza