Saiba como cuidar do cabelo em contato frequente com mar e piscina para evitar ressecamento

Profissionais dão dicas até para quem tem os fios coloridos

cabelo no mar
Legenda: Esportes aquáticos exigem um cuidado especial com o cabelo
Foto: Nikkolia/ Shutterstock

Se o banho de mar ou de piscina faz parte da sua rotina, certamente o cuidado com os cabelos é uma preocupação diária. Isso porque, seja pelo sal ou pelo cloro, a sensação de ressecamento é imediata. 

Proteger a cabeleira antes e depois de cair na água são estratégias necessárias, e, por isso mesmo, convidamos duas profissionais para dar dicas de como aliar esse momento de esporte e/ou diversão com a sensação de bem-estar completo. 

Lívia Ribeiro, 24 anos, é formada em Tecnologia de Processos Químicos pelo Instituto Federal do Ceará e hoje trabalha resolvendo os problemas dos cabelos de muitas mulheres. 

“Decidi começar a ajudá-las no início da pandemia. quando vi muitas amigas mal humoradas com seus cabelos enquanto os salões estavam todos fechados”, lembra.

Entre as dúvidas mais frequentes que ela recebe na caixinha do Instagram (@liviamariars), está justamente a que motivou essa matéria.

“Muitas pessoas começaram a fazer esportes aquáticos e perceberam que o cabelo ficava muito ressecado e sem forma no dia seguinte”, afirma.
Lívia Ribeiro

Dicas pré-banho

Nesses casos, Lívia gosta de indicar o uso de algo que impeça o máximo de absorção do cloro (no caso da piscina) ou do sal (no caso da praia). Um creme - desses bem baratinhos - ou óleo de coco são as apostas da profissional. 

Essa orientação, porém, não é recomendada para quem tem tranças ou dreads, por exemplo, pois “a retirada dos produtos fica bem mais difícil”, explica a especialista. 

Outra coisa muito importante é estar de cabelo preso ou numa touca, para não ficar se preocupando muito com os fios durante a atividade física ou o lazer.

“A touca de silicone serve como uma barreira física entre o cabelo e a água, sendo uma das formas mais garantidas de proteção, mas elas não tiram a necessidade de lavagem depois da atividade”, ressalta.
Lívia Ribeiro

A melhor forma de manutenção deste acessório, conforme Lívia, é secando com uma toalha depois de ser usada e, se possível, colocando um pouco de talco antes de guardar - assim, o plástico não irá ressecar. 

Fios (des) coloridos

No caso de quem aposta no tingimento, a cabeleireira Joelma Moreira, do @salaoexperimental, recomenda alguns cuidados extras. 

“É importante sempre usar produtos que tenham fator de proteção solar, e higienizar bem os fios quando chegar em casa. Como a pessoa acaba pegando muito sol, as hidratações são bem importantes”, reforça.
Joelma Moreira

A profissional lembra ainda que tanto a piscina quanto o mar desbotam bastante a cor, então é bom evitar esse tipo de banho por pelo menos duas semanas após a coloração, para não perder a pigmentação dos cabelos recém-pintados.

cabelos coloridos
Legenda: Produtos com fator de proteção solar são aliados dos fios coloridos
Foto: Reprodução/Salão Experimental

Lívia Ribeiro, por sua vez, alerta para o fato dos fios descoloridos ou coloridos serem mais frágeis, visto que a ação do descolorante também retira partes da estrutura do cabelo.  

“Nesses casos, não indico os esportes aquáticos em piscina, pois, em geral, a absorção do cloro impede o processo de descoloração e coloração do fio e não há como impedir isso efetivamente. Mesmo com a touca, ainda há contato com o cloro”, diz.

Ainda segundo ela, existem produtos que servem como "barreira de cloro", prometendo impedir que ele seja absorvido pelo fio, mas não há como garantir que vai funcionar em todos.

Dicas pós-banho

Passado o momento de esporte ou lazer, outros cuidados se fazem necessários. Na hora de lavar, prefira sempre a água fria, pois, segundo Lívia, será melhor para manter os cabelos mais saudáveis.

“Água quente é prejudicial para o couro cabeludo. Dependendo da frequência, ela pode ir queimando o tecido da região e podendo provocar: aumento da oleosidade, ressecamento e/ou caspa”, alerta.

Já no que diz respeito ao uso secador e da chapinha, ela deixa em evidência que o problema é o excesso.

“O calor deixará o fio ressecado e sem forma. Sempre que for usá-los, esteja com o cabelo apenas úmido (no caso do secador) ou totalmente seco (no caso da chapinha)”, orienta.
Lívia Ribeiro

Produtos indicados

Ainda no que diz respeito ao processo de higienização, a cabeleireira Joelma recomenda evitar produtos com sulfatos muito fortes diariamente. 

“Para quem vai à piscina, é bom usar sulfatos mais fortes, mas no máximo uma vez por mês, porque esses agentes de limpeza tiram a oleosidade natural que protege o cabelo, deixando ele mais seco e fraco”, observa Joelma.

O ideal, segundo ela, é sempre procurar produtos "low poo", que tem a limpeza mais suave e não usam derivados de petróleo na composição. 

cabelo na piscina
Legenda: Em contato com o cloro, o cabelo passa por reações adversas
Foto: Shutterstock

Lívia reconhece que a sugestão de produtos é algo bem delicado, pois há os que servem para um tipo de fio, mas não para outro.

“Isso é bem comum de acontecer, por isso, só faço indicações de produtos específicos durante a consultoria de Cronograma Capilar que faço. Desenvolvido por mim, este cronograma funciona a partir da minha percepção (baseada em estudos) junto com as da cliente sobre os problemas que o cabelo dela apresenta”, explica.

Após esse diálogo, a profissional analisa e monta uma rotina para a pessoa, junto com uma lista de produtos próprios para os fios analisados.

“O que gosto de indicar é para manter o cabelo brilhoso e hidratado. Busque por máscaras com óleo de coco, pantenol e aloe vera na composição - são os principais ativos. No caso de finalizadores, invista em cremes com uma consistência mais leve, facilita na hora de pentear e quando você for modelar o cabelo”, finaliza.
Lívia Ribeiro


Assuntos Relacionados