Confira 5 benefícios do chocolate

Nutricionista explica propriedades nutricionais do alimento

Barras de chocolate
Legenda: Dia Mundial do Chocolate é celebrado em 7 de julho
Foto: Shutterstock

É celebrado nesta quarta-feira (7) o Dia Mundial do Chocolate. O alimento, que dá origem a diversas sobremesas e ao tradicional brigadeiro brasileiro, é adorado em todo mundo.

A data relembra a chegada do chocolate na Europa, em 1550. Anteriormente, o produto só era conhecido pelas civilizações originárias da América, Maias e Astecas. 

Ao longo dos anos, o chocolate foi modificado e adaptado aos mais diversos gostos. Veja os principais tipos da iguaria:

  • Chocolate branco - utiliza apenas a parte gordurosa do cacau ou gordura hidrogenada
  • Chocolate ao leite - teor de cacau inferior a 40%, pode ter gordura hidrogenada
  • Chocolate meio amargo - teor de cacau entre 40% e 65%, costuma ter menos açúcar que os anteriores
  • Chocolate amargo - teor de cacau acima de 70%, o maior percentual; costuma ter menos açúcar e adoçante

Há também versões menos tradicionais, como os chocolates com frutas cítricas ou pimenta. Com tamanha diversidade, é difícil não desejar pelo menos um prato com o alimento. 

O chocolate é conhecido pelo sabor e, via de regra, pelo alto teor calórico. Mas também tem benefícios e valores nutricionais importantes.

Para listar alguns dos benefícios, o Diário do Nordeste convidou Keciany Alves de Oliveira, nutricionista pós-doutora do Programa de Pós-graduação em Nutrição e Saúde da Universidade Estadual do Ceará (Uece).

1. Prevenção de doenças

A nutricionista Keciany de Oliveira explica que o cacau, que dá origem ao chocolate, tem grande quantidade de flavonóides (compostos bioativos com propriedades nutricionais importantes). 

Por isso, o chocolate pode ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson. 

A nutricionista listou as principais propriedades nutricionais do chocolate

  • flavonoides
  • ácidos graxos (oleico, esteárico e palmítico) - provenientes da manteiga de cacau
  • minerais (magnésio, potássio, ferro e zinco): contribuem na produção de hormônios e formação de dentes e ossos
  • metilxantinas (teobromina e cafeína): alto poder estimulador do sistema nervoso central

Além disso, o alimento é rico em tiramina, derivado da tirosina que participa da produção de catecolaminas - neurotransmissores que atuam no controle da pressão arterial. A tiramina é um potencial causador de dores de enxaqueca

2. Propriedade antioxidante

Os flavonoides também garantem ao chocolate a propriedade antioxidante. Esses alimentos protegem as células humanas do efeito dos radicais livres - moléculas reativas, instáveis e que podem gerar estresse oxidativo. 

Dessa forma, há favorecimento do aumento da imunidade e prevenção de síndromes. 

3. Propriedade anti-inflamatória

Outra propriedade garantida pelos flavonoides é a de ser anti-inflamatório, explica Keciany. Esse tipo de alimento combate a inflamação dos tecidos e, consequentemente, a dor. 

Entre os efeitos positivos, estão a recuperação de fibras musculares e melhora de desempenho na prática de atividades físicas, evitando lesões. 

Chocolate
Legenda: Nutricionista recomenda priorizar chocolates com alto percentual de cacau
Foto: Shutterstock

4. Melhora do humor

O chocolate induz à produção de serotonina no organismo, explica a nutricionista. A serotonina é um neurotransmissor que ajuda a equilibrar o humor

O 'hormônio da felicidade' também induz a melhoras no sono, aprendizagem, memória, apetite e vida sexual. A serotonina também media os movimentos peristálticos, fundamentais para uma digestão correta. 

5. Efeito neuroprotetor 

A nutricionista Keciany de Oliveira aponta que estudos sobre o cacau têm demonstrado efeito neuroprotetor. A neuroproteção se refere a estratégias usadas para proteger os neurônios contra danos ao Sistema Nervoso Central. 

Para atingir esse benefício, o cacau estimula alguns aspectos:

  • aumento do fluxo sanguíneo
  • aumento da oxigenação cerebral
  • proteção de neurônios contra danos oxidativos 
  • proteção de neurônios contra declínio cognitivo, associado ao envelhecimento 

Como garantir essas propriedades?

Chocolate
Legenda: Cacau tem propriedades antioxidante e anti-inflamatória
Foto: Shutterstock

A nutricionista recomenda a escolha por chocolates amargos ou chocolate em pó com 100% de cacau. Keciany ressalta que é importante priorizar produtos livres de aromatizantes e sem adição de açúcar. 

"Comer chocolate amargo todo dia, como parte de uma dieta saudável e equilibrada, pode potencialmente fornecer os benefícios aqui citados, sendo recomendável o consumo de 20-30g por dia, que corresponde a 2 quadradinhos de um tablete"
Keciany Alves de Oliveira
Nutricionista do Programa de Pós-graduação em Nutrição e Saúde da UECE

Keciany explica que é importante ler o rótulo dos alimentos para identificar o percentual de cacau e possíveis químicos adicionados. "Durante o processamento do chocolate, parte desses nutrientes é perdida e pode não ser identificada no produto", ressalta.

Especialista 

Keciany Alves de Oliveira é pós-doutora em Nutrição e Saúde pela Universidade Estadual do Ceará (Uece), com doutorado sanduíche pela Uece e Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. 

A especialista tem experiência nas áreas de fisiologia endócrina, metabolismo e resistência à insulina no tecido hepático.