Suspeito de latrocínio em shopping assaltou loja quando era adolescente

A Pefoce divulgou nessa segunda-feira (23) que mobilizou uma equipe multidisciplinar para dar suporte a investigação do latrocínio

latrocínio investigação polícia
Legenda: A Polícia Civil investiga o crime de latrocínio ocorrido na última sexta-feira (20), no shopping
Foto: Divulgação/SSPDS

Já se sabe que o latrocínio da gerente de loja Caroline Alves da Rocha, de 36 anos, ocorrido no Shopping Iguatemi Fortaleza não foi o primeiro crime do qual o bando preso é suspeito. Um dos apontados como participante no caso com repercussão nacional tem participação em um assalto com roubo de roupas, sandálias e relógios quando ainda era adolescente.

A reportagem apurou que ainda quando era menor de idade Antônio Duarte Araújo Enéas assaltou uma loja na Avenida Presidente Castelo Branco, em Fortaleza. Ele e um adulto eles invadiram o comércio com uma espingarda e ameaçaram a proprietária da loja. Além dos objetos, levaram o dinheiro do caixa do dia 18 de dezembro de 2013.

Uma patrulha da Polícia Militar passava pelos arredores e abordou os suspeitos. Duarte foi apreendido e o maior preso. O jovem foi encaminhado até a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e reconhecido pela vítima. A mulher disse aos policiais que esteve sob mira de um revólver durante o assalto.

À época, foi aplicada medida socioeducativa ao adolescente com decretação de internação provisória que durou quase um ano. Depois dos 18 anos, já em liberdade, o envolvimento de Antônio Duarte Araújo Enéas em ações criminoas se aperfeiçoou.

Antônio Duarte Araújo Enéas ficou quase um ano em centro socioeducativo quando era adolescente
Legenda: Antônio Duarte Araújo Enéas ficou quase um ano em centro socioeducativo quando era adolescente

No fim do ano passado, Duarte, Lúcio Mauro Rodrigues Ferreira e André Luiz dos Santos Nogueira, outros envolvidos no latrocínio da última sexta-feira (20) foram capturados em uma abordagem, na cidade de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza. O trio preso como suspeito de furto a uma residência foi solto no mesmo dia por decisão proferida por um juiz plantonista da Justiça Estadual.

Investigações

Nessa segunda-feira (23), a Polícia Civil divulgou novos detalhes sobre o latrocínio que vitimou uma funcionária de uma joalheira no Shopping Iguatemi, em Fortaleza. Durante a ação criminosa, a mulher chegou a ser feita de escudo humano por um dos quatro suspeitos já detidos. 

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirma que a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) mobilizou uma equipe multidisciplinar envolvendo peritos da Coordenadoria de Perícia Criminal (Copec), Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) e Coordenadoria de Análises Laboratoriais Forenses (Calf), para dar suporte a investigação do latrocínio. 

"Para elucidação do crime, foram requisitadas e estão em processamento as perícias de vídeo, do local de crime, do exame de balística, do DNA Forense e de exames residuográficos, além de perícias médicos legais no corpo da vítima"
SSPDS

As investigações apontam que o mentor do crime foi Lúcio Mauro Rodrigues Ferreira, de 48 anos, o "Véi" ou "Pai". Ele afirmou à Polícia que esteve no shopping na mesma semana do crime para planejar o atentado. Conforme investigadores, o homem confessou ser o chefe do bando e disse ter dado apoio logístico ao crime.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança