Estudante de 17 anos foi assassinada na Praia da Tabuba por facção após alvo dos criminosos escapar

Dois homens foram acusados pelo Ministério Público do Ceará pelo crime. Um está preso e o outro, foragido

Escrito por Messias Borges, messias.borges@svm.com.br

Segurança
Família da jovem registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre o desaparecimento dela no DHPP um dia antes do corpo sem encontrado
Legenda: Família da jovem registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre o desaparecimento dela no DHPP um dia antes do corpo sem encontrado
Foto: Divulgação

Uma estudante de 17 anos foi morta por membros de uma facção criminosa, na Praia da Tabuba, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), em abril deste ano, após o alvo dos assassinos escapar. Dois homens foram acusados pelo Ministério Público do Ceará (MPCE), na última quarta-feira (15).

Antonio Wesly Silva Ferreira, de 20 anos, e Wendel Monteiro Bernadino, 25, foram denunciados por homicídio qualificado (por motivo futil, meio cruel e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima), tentativa de homicídio qualificado, sequestro e cárcere privado e organização criminosa. O primeiro está preso preventivamente e o segundo, foragido.

Conforme a denúncia assinada pelo promotor de Justiça Jairo Pequeno Neto, a estudante saiu de casa para ir se divertir na Praia da Tabuba, no último dia 17 de abril. Ela entrou em contato com a família para dizer que estava em um ônibus a caminho de casa. Porém, a jovem não retornou, e a família registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre o desaparecimento na 12ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil do Ceará (PC-CE).

No dia seguinte, o corpo da adolescente foi encontrado com ferimentos causados por arma de fogo, na Tabuba, em em um matagal perto de uma parada de ônibus.

Testemunhas afirmaram à Polícia que a jovem chegou a embarcar no ônibus. A investigação descobriu que ela foi retirada do transporte para ser utilizada como "isca", para atrair um homem para uma emboscada.

O jovem, um 'buggeiro', recebeu uma ligação da adolescente o chamando para se encontrarem e se dirigiu ao local. Entretanto, ao se aproximar em um veículo, ele viu dois homens a pé e armados - sendo um deles com uma longa - e fugiu. Os criminosos ainda atiraram contra o automóvel, mas não atingiram o rapaz.

As investigações apontaram que a adolescente não tinha ligação com facção ou com qualquer outro crime. Mesmo assim, diante do fracasso em executar o 'buggeiro', os criminosos decidiram matá-la.