Túneis de desinfecção são instalados em Limoeiro do Norte

A Secretaria de Saúde do município instalou três equipamentos para auxiliar nas medidas de prevenção ao contágio da Covid-19. Segundo a Anvisa, porém, ainda não há evidências científicas sobre a eficácia dessas estruturas enquanto medida preventiva

Legenda: Túnel em Limoeiro chegou neste domingo (24)

Três túneis de desinfecção, criados para prevenção ao contágio do novo coronavírus, têm sido instalados neste domingo (24) em Limoeiro do Norte, na região do Vale do Jaguaribe (CE). Nas proximidades de duas agências lotéricas e na entrada de urgência e emergência do Hospital Dr. Deoclécio Lima Verde (Centro), os equipamentos trazem um sistema de pulverização por nebulização. O sistema do túnel cria um vapor que ajudaria a desinfectar o usuário que adentra seu interior.

A solução é inspirada em iniciativas similares, como no sistema de desinfecção instalado na rodoviária de São Paulo (SP), e nos túneis implementados no município de Coreaú (CE). "Nós adquirimos os nossos pela empresa de lá (do município cearense), inclusive. A população de Limoeiro já vinha solicitando e nós achamos interessante implantar", observa o secretário de Saúde de Limoeiro do Norte, Júnior Ibiapina. 

Segundo Ibiapina, o vapor criado para desinfecção dos usuários, à base da substância Clorexidina 0,2%, é estudado por um químico, para reduzir os riscos de haver efeitos colaterais relacionados à exposição do corpo a substâncias químicas. O túnel não dispensa, no entanto, nenhuma outra medida comprovadamente eficaz de prevenção a Covid-19, como o isolamento social. 

O secretário explica que o túnel não "isenta a necessidade de estarmos em quarentena ou isolamento social" e "tem por objetivo principal realizar uma possível desinfecção simples, de forma externa ao corpo humano, inviabilizando o o compartilhamento de partículas virais pelas mãos, braços, antebraços, cabelo, roupas, sapatos e adornos que, ocasionalmente, ao tossir, espirrar, poderiam ser expelidas".

Ponderação

No último dia 13 de maio, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou uma nota na qual afirma “faltar evidências científicas” de que o uso de estruturas como câmaras, cabines e túneis para desinfecção de pessoas tenha eficácia, enquanto medida preventiva contra o novo coronavírus.

De acordo com a autoridade sanitária, “a duração de 20 a 30 segundos para o procedimento não seria suficiente para garantir o processo de desinfecção”. Além disso, a nota técnica, reforça que a adoção desse mecanismo “não inativaria o vírus dentro do corpo humano, além de poder causar danos à saúde de quem se submetesse à desinfecção com saneantes aplicados diretamente na pele e nas roupas”.

Controle

Segundo o último Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde de Limoeiro do Norte, o município tinha 198 casos confirmados de Covid-19, e 3 óbitos até o meio dia de ontem (23). O secretário Júnior Ibiapina observa que há uma diferença entre a contagem feita pela gestão municipal, e a plataforma IntegraSus, atualizada pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa).

Na última atualização da plataforma, às 9h21 deste domingo (24), o município do Vale do Jaguaribe aparece com 139 casos confirmados e 3 óbitos. Em todo o Estado, há o registro, até então, de 35.387 casos e 2.313 mortes. 

"Desde que começou a pandemia, temos parceria com os laboratórios privados e com o hospital da Unimed, que diariamente nos informa os exames que são realizados lá. Em decorrência disso, temos um número de casos maior do que está na plataforma IntegraSUS", explica o secretário Júnior Ibiapina. 

Segundo o gestor, a rede pública de saúde de Limoeiro atende até 20 municípios da região do Vale do Jaguaribe. Além da instalação de novas UTIs e reforço na implantação de equipamentos como os respiradores, o trabalho pela prevenção da Covid-19 na cidade tem passado pela conscientização da população a respeito do isolamento social. Em áreas onde açudes estão localizados, por exemplo, a Prefeitura já registrou a formação de aglomerações.

"Limoeiro tem controlado a disseminação do vírus. Mas precisamos fazer bloqueios, por exemplo, como fizemos na comunidade do Espinho. Fizemos testes, desinfecção por nebulização nas ruas, em lares, com o apoio dos agentes de segurança. Onde o foco de contaminação pode ser maior, chegamos com a estrutura", sinaliza Ibiapina.