Protesto e comoção marcam enterro de mulher assassinada dentro de ótica, no Sul do Estado

Cícera Samires foi morta a tiros no Centro de Milagres. Ela completaria 30 anos no próximo dia 24 de novembro. Seu ex-companheiro é o principal suspeito do homicídio

Legenda: Centenas de pessoas participaram do enterro, realizado na tarde desta quarta-feira, em Milagres
Foto: VcRepórter

Comoção e protestos marcaram o sepultamento de Cícera Samires dos Santos Souza, de 29 anos, morta a tiros na manhã da última terça-feira (10) enquanto trabalhava em uma ótica na cidade de Milagres, no Sul do Estado.

O velório teve início ainda noite da terça, na residência dos pais da vítima, no Sítio Santa Catarina, zona rural de Milagres. Já na tarde de ontem (11), por volta das 15 horas, um cortejo com centenas de pessoas percorreu 15 km até a Igreja Matriz do Município. O enterro aconteceu às 17h no Cemitério de Milagres.

O primo da vítima, Elisaldo Félix, de 24 anos, conta que Samires era "uma pessoa calma, alegre, muito simpática e humilde". Ainda segundo o jovem, sua prima "não tinha inimizade com ninguém e era bastante querida por todos". Esse afeto se materializou em sua despedida.

Centenas de pessoas, inclusive de cidades vizinhas, como Crato, participaram da despedida de Samires. Muitos deles carregavam cartazes e faixas. Uma delas estava escrito: "Pela vida das mulheres".

 Fique por dentro:

"Esse crime não abalou apenas a nossa família. Toda a cidade de Milagres ficou assustada, abalada", acrescenta Félix. O principal suspeito de executar Samiris, que no próximo dia 24 completaria 30 anos, é seu ex-companheiro, identificado como Hélio Adelino da Silva. Ele segue foragido. 

Elisaldo conta que "embora ela já tivesse sofrido ameaças antes, ninguém, além da mãe e irmã dela, sabiam, por isso foi um choque para todos". 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará