Idosa recebe 1ª e 2ª dose da vacina contra a Covid de fabricantes diferentes em Umirim, no Ceará

A aposentada vai precisar tomar uma terceira dose para completar a imunização

Vacina Covid-19
Legenda: Isaura Moura Peixoto de Sousa achou estar recebendo a 2ª dose da vacina AstraZeneca
Foto: Arquivo Pessoal

Uma aposentada de 84 anos em Umirim, litoral oeste do Ceará, descobriu que foi imunizada contra a Covid-19 com duas vacinas diferentes. O caso aconteceu na manhã desta quarta-feira (7). 

Isaura Moura Peixoto de Sousa recebeu a primeira dose da vacina AstraZeneca / Oxford no dia 27 de janeiro, em sua própria residência.  

Segundo conta o advogado Matheus Amaro, 25, neto da idosa, a família recebeu o chamado da prefeitura municipal para comparecer na sede da secretaria de cultura, nesta quarta, para receber então a segunda dose. 

No entanto, a vacina aplicada desta vez foi a CoronaVac, produzida pela empresa chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Cartões de vacinação
Legenda: No dia 27 de janeiro, a idosa recebeu a dose da AstraZeneca e nesta quarta-feira (7) da CoronaVac
Foto: Arquivo Pessoal

Somente ao receber o imunizante, conta Matheus, é que o erro foi percebido.

"A gente entregou os documentos solicitados, entre eles a carteirinha. Foi conferido pelo enfermeiro e pela coordenadora e eles não perceberam serem laboratórios diferentes. Somente no momento de preencher o espaço destinado à 2ª dose no cartão constataram ser uma vacina diferente", conta. 

Diante do equívoco, acrescenta ele, a secretaria municipal de saúde reteu o cartão, e Isaura recebeu um novo, desta vez com o registro do imunizante do Butantan. A família agora deve esperar um novo contato para que ela receba a 3ª dose, e complete o esquema de imunização. 

Para Matheus, o dia deveria ser de alegria, diante de um familiar imunizado contra a Covid-19. O erro, no entanto, trouxe ainda mais aflição, sobretudo por ele ter perdido o avô para a doença.

"Me preocupa ter que aguardar pelo menos mais um mês, ainda mais na nossa cidade que vive um surto. E tenho medo de ela ter alguma reação adversa, já que os imunizantes têm princípios ativos diferentes", afirma. 

A Secretaria Municipal de Saúde de Umirim recuou da decisão e informou, com base em nota técnica do Ministério da Saúde, que a paciente está com o esquema de imunização completo, mesmo se tratando de laboratórios diferentes, em razão do intervalo entre as doses ser superior a 14 dias. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará