Faltam atrativos às bibliotecas

Alguns frequentadores dão vida a estes espaços esperando que sejam ampliados e tenham o mínimo de conforto

Barbalha/Crato/Juazeiro do Norte. O forte calor, os livros desatualizados e a falta de equipamentos são alguns dos problemas enfrentados por cada uma das bibliotecas públicas municipais destes três municípios no Cariri cearense. Muitas pessoas sequer sabem que existem estes equipamentos ou onde estão localizados. Mesmo assim, alguns frequentadores dão vida a estes espaços na perspectiva de que sejam ampliados e tenham o mínimo de conforto.

Na região, há várias bibliotecas, principalmente, das próprias universidades. Ainda assim, as bibliotecas públicas municipais cumprem um papel para além de um local de estudo, mas de disponibilizar informações oficiais sobre a cidade e promover ações. “A função social da biblioteca pública é dar acesso a informações aos munícipes”, explica a bibliotecária e coordenadora Biblioteca Pública Municipal Dr. Possidônio da Silva Bem, em Juazeiro do Norte, Rosana Marinho. Para ela, as pessoas têm uma ideia errada de que estes locais só servem para a pesquisa escolar. “É um equipamento que junta arte, cultura e informação”, acrescenta.

Dez usuários/dia

Em Barbalha, a Biblioteca Pública Municipal Padre Agostinho Mascarenhas, com 4.500 títulos, atende cerca de dez usuários por dia. Ela fica no Hotel Casarão, prédio tombado como patrimônio histórico. Apesar de ser um ambiente mais rústico, o local é aconchegante, bem localizado, tem uma boa vista e o ar que circula pelo vão ameniza o calor.

Segundo a bibliotecária Isabel Leal, hoje sua principal demanda é automatização dos livros. Os títulos já foram catalogados para entrar no sistema de bibliotecas públicas do Estado do Ceará, mas falta o computador e a impressora. “Com isso, a gente enfrenta um grande problema de devolução de livros. Tem muitos livros perdidos, alguns, justamente, que falam da história de Barbalha”, lamenta.

Biblioteca-em-Juazeiro-do-Norte-1 Biblioteca-em-Juazeiro-do-Norte-2

Em Juazeiro do Norte, os principais problemas são estruturais, embora também careça de atualização, organização e informatização do acervo

Além disso, acredita que o acervo precisa de uma nova atualização na Literatura Brasileira, no Direito e na Informática. Por outro lado, conseguiram, recentemente, 500 livros sobre a História do Ceará, carência da unidade, e braile. Ela acredita que também seria necessário melhorar a climatização. Não há sequer um ventilador.

O secretário de Cultura de Barbalha, Rômulo Sampaio, disse que está ciente dos problemas e que tem perspectiva de conseguir um computador pelo Sistema Estadual de Bibliotecas, da Secretaria de Cultura (Secult). Além disso, há livros, conquistados por meio de edital, que devem ser buscados na capital.

Já no Crato, a Biblioteca Pública Municipal costuma receber, em média, 30 pessoas por dia, segundo o bibliotecário e coordenador, Cícero Gomes. Lá, tem dez computadores disponíveis para a comunidade fazer pesquisa, além de trabalhos acadêmicos, escolares, inscrições em concursos e cursos. O público, em sua maioria, são estudantes universitários e de Ensino Médio.

Climatização

Apesar do espaço grande, acervo de 15 mil livros, e o auxílio de nove funcionários, o equipamento tem problemas na climatização e na qualidade dos banheiros. Atualmente, no período da tarde, poucas pessoas frequentam devido ao calor. Os dois ar-condicionados não funcionam e os usuários preferem estudar do lado de fora.

No entanto, o secretário de Cultura, Wilton Dedê, garantiu que, ainda neste primeiro semestre de 2018, o prédio receberá quatro ar-condicionados e passará por reformas nos banheiros e criação de uma rampa de acesso pelo calçadão do largo da RFFSA. As obras fazem parte da adequação do Complexo Centro Cultural Araripe, que receberá, até outubro, duas salas de cinema que estão sendo construídas.

Problemas estruturais

A situação mais grave é em Juazeiro do Norte, na Biblioteca Pública Municipal Dr. Possidônio da Silva Bem, que conta com o maior acervo da região – 18 mil itens – e recebe o maior número de usuários, cerca de 3 mil por ano. Ela é uma das oito Bibliotecas Polo do Estado do Ceará, representando, como referência, para 29 municípios da região do Cariri. Ou seja, ela deveria ter as melhores políticas públicas e ser modelo para as outras.

Porém, durante 15 anos, até 2016, ela não teve profissional de Biblioteconomia à frente de sua coordenação. Algo que mudou na atual gestão, com a chegada de Rosana Marinho. Ela e outras colaboradoras decidiram criar um plano estratégico para o equipamento para os próximos quatro anos. Dentro do documento, está a reforma, modernização, compra de equipamentos, políticas públicas e um plano para o acervo. Apesar do desejo, hoje o prédio encontra-se com entupimento nas calhas, infiltrações e manchas nas paredes, lâmpadas queimadas, fios de energia soltos e até um tijolo caiu do teto na área de leitura.

Segundo Damião Silva, desempregado, que frequenta três vezes por semana a Biblioteca, os funcionários fazem o que podem para atender à demanda. “Está caindo aos pedaços. A gente sente muito calor porque só tem dois ventiladores funcionando. O banheiro tem cheiro desagradável”, denuncia. Como está estudando para concurso, acredita que muitos livros não estão atualizados e que deveriam ser trocados para os usuários não aprenderem conteúdos ultrapassados. Apesar disso, reconhece que há livros bons, que não encontra em qualquer lugar.

O professor Victor Emmanuel Farias acrescenta que há muitos títulos importantes se deteriorando. “A limitação do acervo está ligada à atualização ou à dependência extrema de doações. Existe muita coisa boa, clássicos da literatura, mas não teve política de renovação”, afirma.

A reforma do local está pautada no planejamento estratégico da Biblioteca Pública de Juazeiro do Norte. Segundo Rosana Marinho, pouca coisa pôde ser feita porque o recurso trabalhado, ano passado, foi o estabelecido em 2016, pela antiga gestão. Já sobre o acervo, conta que recebeu centenas de livros, já catalogados, mas ainda não estão disponíveis por falta de espaços adequados para instalação. Rosana também espera que o Telecentro tenha o ar-condicionado consertado para também ser utilizado.

Segundo a Secretaria de Cultura de Juazeiro do Norte, a Biblioteca Pública Municipal Dr. Possidônio da Silva Bem passou por uma vistoria técnica, realizada por uma equipe da Secretaria de Infraestrutura, para que seja feita a reforma, trazendo modernização, mais conforto e acessibilidade. “A Pasta está empenhada para solucionar as demandas existentes e encaminhará o projeto de reforma e manutenção do prédio e equipamento neste ano de 2018”, diz em nota.

Biblioteca Pública Municipal Padre Agostinho Mascarenhas Biblioteca Pública Municipal Padre Agostinho Mascarenhas

Em Barbalha, a Biblioteca Pública Municipal Padre Agostinho Mascarenhas, com 4.500 títulos, atende apenas cerca de dez usuários, diariamente, principalmente devido ao calor e acervo limitado

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará