Desrespeitando decreto, moradores se aglomeram em cortejo simbólico do Pau da Bandeira, em Barbalha

Apesar do decreto de isolamento social em vigor, devotos assistiram a bandeira ser hasteada no mastro já erguido no ano passado

Legenda: Embora a maioria dos presentes estivesse utilizando máscaras, algumas pessoas foram vistas sem a proteção.
Foto: Toni Sousa

Moradores do município de Barbalha, na Região Metropolitana do Cariri, geraram aglomerações durante um cortejo simbólico do Pau da Bandeira, realizado neste domingo (31). Embora o decreto de isolamento social do Governo do Estado continue em vigor, grupos de pessoas seguiram um carro de som que levava a bandeira de Santo Antônio para ser hasteada no mastro já erguido no ano passado. 

A intenção, segundo relatos da população, era fazer uma homenagem à tradicional Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio, reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Cultural Brasileiro, em 2015. Para garantir segurança da população e respeitar as regras sanitárias, o tradicional festejo foi cancelado pela Prefeitura de Barbalha.

“De manhã a gente fez a bênção da bandeira, e estava marcado para sair às 17h apenas o carro de som com a bandeira, e só. Mas o momento chamava a atenção, é um momento simbólico pra muitos devotos e carregadores de Barbalha. É uma maneira de a gente respeitar a nossa tradição e a nossa cultura”, conta Rildo Teles, que esteve à frente da comissão do cortejo. 

Legenda: A bandeira de Santo Antônio foi hasteada no mastro já erguido no ano passado.
Foto: Toni Sousa

Durante o percurso do veículo, moradores seguiram a pé, em carros e em motocicletas até o local onde estava erguido o mastro utilizado na comemoração em 2019. Embora a maioria dos presentes estivesse utilizando máscaras, algumas pessoas foram vistas sem a proteção. 

“A gente se preocupa. No carro de som, falamos do uso das máscaras. Isso prova a nossa responsabilidade com os outros”, acrescenta Teles. 

Avanço do coronavírus 

Em nota, a Prefeitura de Barbalha informa que o cortejo não foi de responsabilidade da Prefeitura e nem do próprio gestor municipal, Argemiro Sampaio. “A Prefeitura lamenta fatos dessa natureza no momento em que o município se esforça para conter o avanço da Covid-19 em Barbalha, e reafirma a necessidade de que a população obedeça às normas de controle da doença, considerando o crescente número de infectados, o que pode provocar mortes”, ressalta. 

Através de redes sociais, policiais militares receberam denúncias de aglomerações durante o evento. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os policiais foram ao local para orientar as pessoas a voltarem para suas residências e respeitarem o isolamento social, medida de prevenção ao contágio e proliferação do novo coronavírus (Covid-19). "As pessoas atenderam à solicitação e esvaziaram o local onde ocorria o evento", informa a Pasta.

Foto: VC Repórter

De acordo com a secretária de Saúde de Barbalha, Pollyana Callou, os fiscais de Vigilância Sanitária não teriam condições de impedir a aglomeração uma vez que “poderiam ser agredidos, já que poderia haver pessoas sob influência de bebidas alcoólicas”.  

Ela destaca a preocupação com o avanço do coronavírus na cidade, e afirma que a aglomeração deste domingo (31) pode aumentar o número de contaminados. Segundo a secretária, o reflexo do ocorrido será avaliado daqui a 15 dias.