Covid-19: casos nas macrorregiões do Cariri e Litoral Leste/Jaguaribe crescem acima da média do CE

O crescimento no número de casos foi observado no período de 14 dias. Segundo dados da Secretaria de Saúde de Juazeiro do Norte, a situação no local é ainda mais alarmante

Casos no interior ainda preocupam autoridades sanitárias do Ceará
Legenda: Casos no interior ainda preocupam autoridades sanitárias do Ceará
Foto: Governo do Estado/ Divulgação

O crescimento do número de casos da Covid-19 entre 28 de junho e 12 de julho, no Ceará, foi de 4,31%, saltando de 131.128 para 136.790, segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). Neste mesmo período, apenas as macrorregiões do Cariri e Litoral Leste/Jaguaribe apresentaram um aumento acima da média estadual, 12,07% e 6,6%. Maior município do interior, a situação de Juazeiro do Norte é a que mais preocupa.  
 
em números absolutos, a macrorregião de Sobral lidera os casos no interior, com 33.810, mas nestas duas semanas, quando foi de 3,9%, abaixo da média estadual. A situação também é mais tranquila no Sertão Central, que saiu de 8.423 pessoas que contraíram a doença para os atuais 8.663 casos, que representam um aumento de 2,8%, também abaixo da média estadual.  
 
Preocupação  
 
O alerta é ainda maior em Juazeiro do Norte se forem observados os números divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, que há disparidade em relação aos dados fornecidos pela Sesa. Em 28 de junho, haviam 2.609 casos, enquanto o último boletim epidemiológico registrava 6.179. Um salto de 136,8%.  
 
O número de óbitos também teve um acréscimo de 53.93% durante este intervalo de tempo entre os principais municípios de cada macrorregião, saindo de 89 para 137 mortes. Uma média de 3,42 óbitos por dia.  
 
Mesmo com o crescimento, a diretora de Vigilância em Saúde de Juazeiro do Norte, Evanusia de Lima, acredita que a rede de assistência hospitalar ainda está numa situação confortável. “O hospital de campanha tem uma certa margem de leitos clínicos disponível”. 
 
A preocupação são os leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), que são ofertadas pelo Hospital Regional do Cariri, hoje com 90% dos seus 90 leitos ocupados. “Ele está variando numa margem acima de 80% de ocupação. Mas ainda não tem histórico de morte de pessoas sem assistência médica”, pondera.  
 
Atenção 
 
A cidade de Russas, que lidera o número de casos na macrorregião Litoral Leste/Jaguaribe com 1.550 casos, segundo a Sesa, começa a preocupar. Há duas semanas, o número era de 900 pessoas confirmadas com Covid-19, um crescimento de 72,2%. Em óbitos, o Município supera, proporcionalmente, Juazeiro do Norte, saltando de 20, no último dia 28 de junho, para 32, segundo o último boletim. O aumento foi de 60%. 
 
Nossa equipe tentou entrar em contato com a Secretaria de Saúde de Russas através dos telefones disponíveis e também das páginas oficiais da Prefeitura nas redes sociais, mas não tivemos sucesso até a publicação desta matéria.  
 
Queda 
 
Em Sobral, segunda cidade com maior número de casos da doença (8.826), atrás apenas de Fortaleza, o crescimento de casos vem caindo gradualmente, assim como o número de óbitos, de acordo com os dados da Secretaria Municipal de Saúde.  
 
De 14 a 28 de junho, o aumento de pessoas com a doença de 57,65%, saindo de 4.332 para 6.672. Em mortes, pelo mesmo período, o acréscimo foi de 172 para 227 (31,97%). Já nas duas semanas seguintes, o maior município da região Norte pulou de 6.672 para 8.826 (32,2%), enquanto os óbitos pela Covid-19 saíram de 227 para 259, que representa 14,09%. 
 
Para o coordenador de Vigilância do Sistema de Saúde de Sobral, Marcos Aguiar Ribeiro, o isolamento social mais rígido que o Município viveu por seis semanas foi fundamental para esta redução. “Ficou mais confortável de chegar na fase de transição, mas, claro, com todo cuidado e com envolvimento de toda uma rede de acompanhamento”, pondera.  
 
A situação se apresenta melhor no Sertão Central. Lá, Quixadá lidera no número de casos. Segundo a Secretaria de Saúde do Município, de 28 de junho para 12 de julho, os casos confirmados de Covid-19 saíram de 2.289 para 2.522 (10,1%). Já no número de óbitos, o crescimento é um pouco maior: de 52 para 58, que representa um aumento de 11,5%.  
 
Os números das Secretarias da Saúde dos municípios trazem diferença dos números ofertados pela Sesa. A assimetria ocorre devido ao repasse das informações dos municípios ao Estado não acontecer de forma automática. Deste modo, pode levar alguns dias até o IntegraSUS compilar todos os dados.