Chuvas em março ficaram dentro da média histórica no Ceará

Na década anterior (de 2011 a 2020), por oito anos seguidos houve registro de precipitações abaixo da média nesse mesmo mês

Chuva no Ceará
Legenda: Segundo especialistas em recursos hídricos, as chuvas irregulares e localizadas observadas neste mês de março são motivo de preocupação
Foto: Honório Barbosa

O mês de março deste ano não repetiu a retomada de chuvas no Ceará acima da média histórica para o período que se verificava desde 2019. Até esta quarta-feira (31), a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) observa precipitações de 204,7 mm no Estado, quantidade próxima à da média histórica, que é de 203,4 mm.

Em 2019, no segundo mês da quadra chuvosa (entre fevereiro a maio), no Ceará, as chuvas ficaram 14.6% acima do esperado e, em 2020, ampliou para 35%. Este foi o melhor março desde 2008, quando foram observados pela Funceme 332,5 mm, ou seja, 63,5% a mais que a média histórica.

Chuvas irregulares e localizadas

Segundo especialistas em recursos hídricos, as chuvas irregulares e localizadas observadas neste mês de março são motivo de preocupação, porque as recargas até o momento permanecem reduzidas.

Na década passada – de 2011 a 2020 – apenas dois anos registraram chuvas acima da média neste mês. Em 2019, quando houve desvio positivo de 14.6%; e em 2020, com 35% a mais.

Para o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Flaviano Fernandes, o registro de reduzidas precipitações em março está relacionado com a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), que é o principal sistema que traz chuva para o semiárido nordestino durante a quadra chuvosa.

Flaviano Fernandes confirmou que, desde 2010, as chuvas ficaram abaixo do esperado nos meses de março e abril, apresentando déficits.

“A temperatura superficial do Atlântico Sul não vem se aquecendo como seria esperado e, por isso, a Zona de Convergência não se aproxima da costa norte do Nordeste”, explicou. “Esse comportamento é desfavorável”.

Em 2021 e na maioria dos anos da década passada, a temperatura das águas superficiais do Oceano Atlântico Norte Tropical ficou mais aquecida do que a porção Sul. A ZCIT tende a permanecer sobre as áreas mais aquecidas. Dessa forma, mantém-se distante da costa cearense, que está abaixo da Linha do Equador, isto é, do lado Sul.

Chuva em Juazeiro
Legenda: A maioria das chuvas neste mês decorreu de formação de áreas de instabilidade – calor e umidade – e beneficiou mais a região do Cariri
Foto: Antonio Rodrigues

"Precisamos de mais estudos”

Meteorologistas afirma que essa anomalia vem ocorrendo com maior incidência desde 2010 por cauda das mudanças climáticas. Flaviano Fernandes, contudo, considera que ainda é cedo para se fazer tal afirmação e justifica: “A série histórica ainda é pequena e precisamos de mais estudos”.

Os dois primeiros meses da quadra chuvosa (fevereiro e março) acumularam volume de 320 mm no Ceará, ficando próximo da normal climatológica neste ano.

A gerente de meteorologia da Funceme, Meiry Sakamoto, analisou que “as nuvens de chuva formadas em fevereiro e março foram na sua maioria ocasionadas por de áreas de instabilidade e também em alguns dias de março devido à influencia da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), principalmente no Centro-Norte do Estado”.

Para Meiry Sakamoto, os acumulados em fevereiro e março de 2020 foram melhores do que os índices observados neste ano porque as condições meteorológicas foram mais favoráveis. “A Zona de Convergência Intertropical não chegou a se posicionar sobre o continente, mantendo-se sempre sobre áreas oceânicas”.

Chuva em Juazeiro
Legenda: A maioria das chuvas neste mês decorreu de formação de áreas de instabilidade – calor e umidade – e beneficiou mais a região do Cariri
Foto: Antonio Rodrigues

Regiões com mais chuvas

A maioria das chuvas neste mês decorreu de formação de áreas de instabilidade – calor e umidade – e beneficiou mais a região do Cariri, que registrou acumulado de 439,3 mm, ou seja, 17,5% acima da média.

Outra região beneficiada foi o Sertão Central/Inhamuns com acumulado dentro da média de 283,4 mm.

Para os primeiros dias de abril, segundo a Funceme, há influência da ZCIT e espera-se mais chuva para a porção Centro-Norte do Ceará, em particular áreas mais próximas da faixa litorânea.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará