Após incêndio, comunidade se une em Várzea Alegre e reconstrói capela de São Francisco

Novenários são celebrados no templo novo, maior, e o encerramento da festa religiosa será no próximo dia 4

Fachada da Capela de São Francisco reconstruída no sítio Fechado, em Várzea Alegre
Legenda: A reconstrução resultou em um templo mais alto e maior
Foto: Arquivo pessoal

Dois anos após um incêndio destruir a capela dedicada a São Francisco de Assis, no distrito de Naraniú, na zona rural de Várzea Alegre, na região Centro-Sul do Ceará, o templo religioso foi reformado após católicos da cidade se mobilizarem e arrecadarem fundos para viabilizar a reconstrução. Agora, moradores celebram com fé e entusiasmo o novenário em honra do padroeiro da comunidade.

“Ficou tudo destruído e foi um dia de tristeza para todos nós da comunidade, que ficou apavorada”. O relato é da moradora, Socorro Sampaio, uma das coordenadoras do movimento religioso católico local. “A nossa fé, a união de todos, fez com que conseguíssemos reconstruir a casa de Deus e, agora com a liberação, estamos reunidos celebrando e agradecendo a Jesus e a São Francisco”.

A capela foi destruída pelo fogo na tarde de 24 de agosto de 2019. Segundo moradores, o incêndio começou por volta das 15 horas, a partir de um curto-circuito na instalação elétrica.

Teto, bancos, móveis e imagens sacras foram destruídos pelo fogo. Não havia ninguém no templo religioso quando o incêndio começou, mas Socorro Sampaio relembra: “Naquele dia estive lá, arrumando, limpando, e um tive um sentimento ruim, algo que me pedia para sair da capela”.

Capela de São Francisco destruída pelo fogo em Várzea Alegre
Legenda: Teto, bancos, móveis e imagens sacras foram destruídos pelo fogo
Foto: Arquivo pessoal

A história do incêndio, a luta dos moradores e de filhos ausentes da localidade se revestiu de um aspecto ainda mais comovente a partir de um problema de saúde grave que se abateu sobre Socorro, que precisou ser operada com urgência para a retirada de um meningioma, um tumor cerebral.

“Passei oito dias em coma e intubada, na UTI, mas recebi uma nova vida para servir a Deus”, disse. Agora, a religiosa está participando das novenas e se recupera com tratamento de fisioterapia motora. “Já consigo ficar em pé para rezar e agradecer a Deus”.

Após a reconstrução, moradores celebram com fé e entusiasmo o novenário em honra de São Francisco, padroeiro da comunidade
Legenda: Após a reconstrução, moradores celebram com fé e entusiasmo o novenário em honra de São Francisco, padroeiro da comunidade
Foto: Arquivo pessoal

Templo maior

A reconstrução resultou em um templo mais alto e maior. “Só está faltando a sacristia, mas vamos continuar pedindo doações e construir o espaço sagrado”, afirmou Socorro Sampaio.

A festa religiosa dedicada a são Francisco vai ser encerrada no próximo dia 4. Neste ano, o evento é mais extenso com uma programação de novenas que começou no último dia 11.

Para moradores e devotos, o momento é de agradecimentos e celebração.

“Este ano a gente não sabia nem como ia se dar o novenário, depois da tragédia que destruiu nossa capelinha, mas veio o apoio dos moradores, do monsenhor Mota [pároco em Várzea Alegre], dos filhos que moram em outras cidades e reerguer a nossa querida igrejinha”, disse a dona de casa, Francisca Alves.

O dinheiro que será arrecadado no novenário será investido para conclusão da obra.  A capela foi erguida no mesmo lugar onde ficava a antiga, em uma das partes mais altas do sítio.

Após a reconstrução, moradores celebram com fé e entusiasmo o novenário em honra de São Francisco, padroeiro da comunidade
Legenda: Após a reconstrução, moradores celebram com fé e entusiasmo o novenário em honra de São Francisco, padroeiro da comunidade
Foto: Arquivo pessoal

O novo templo está com mais de três metros de altura, com 13 metros de comprimento e 6,5 m de largura. “É uma nova igreja, maior do que a antiga que foi destruída pelo incêndio. São Francisco merece”, comemorou a devota Regina da Silva.

O pedreiro Francisco José Oliveira, que trabalhou na obra, observou: “Foi mais rápido do que imaginei porque não faltou doação”. O prejuízo estimado com o incêndio na época foi de mais de R$ 40 mil. A capela original foi erguida há 30 anos e era o maior símbolo da religiosidade do sítio Fechado. Pessoas interessadas em fazer doação pode ligar para (88) 9340.2504.

Nova capela em construção
Legenda: O novo templo está com mais de três metros de altura, com 13 metros de comprimento e 6,5 m de largura
Foto: Arquivo pessoal

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará