Ana Cristina Valle, ex-mulher de Bolsonaro, é convocada à CPI da Covid-19 no Senado

Requerimento foi apresentado e aprovado na sessão desta quarta

Ana Cristina Siqueira valle, ex-mulher de Bolsonaro
Legenda: Ex-esposa do presidente tem relações com lobista Marconny Albernaz Ribeiro de Faria, que depôs à CPI
Foto: reprodução/Instagram

A CPI da Covid-19 aprovou, nesta quarta-feira (15), a convocação de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O requerimento foi aprovado na sessão de hoje. Apenas o senador Marcos Rogério (DEM-RO), da base governista, votou contra.

"Acabamos de aprovar requerimento de convocação da Sra. Ana Cristina Bolsonaro. Temos certeza que seu depoimento contribuirá muito para as investigações desta CPI", escreveu o vice-presidente da Comissão, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) no Twitter.

De autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), o requerimento foi aprovado durante depoimento do empresário e suposto lobista Marconny Albernaz Ribeiro de Faria. Ele tem relações com Ana Cristina e é amigo de Jair Renan Bolsonaro, filho “04” do presidente.

Para Randolfe Rodriges, há indícios de que Ana Cristina recebia indicações de Albernaz para cargos públicos, sendo uma delas a de Márcio Roberto Teixeira, que acabou na direção do Instituto Evandro Chagas, em Belém (PA). Ele foi preso em  27 de outubro de 2020, na Operação Parasita, da Polícia Federal (PF).

Pedido de prisão

O senador Otto Alencar (PSD-BA) pediu a prisão de Marconny Faria ainda na sessão desta quarta. Na avaliação do parlamentar, o depoente omitiu informações e mentiu durante suas falas à CPI. 

Randolfe Rodrigues informou ao senador que a Comissão analisaria a solicitação dele.