Disputa em comissão da Enel na AL-CE tem menção à Pantanal: "vir uma onça caçar vossa excelência"

Briga aconteceu entre parlamentares da oposição e da base governista

Comissão especial que avalia contrato de concessão da Enel. Na foto, estão em destaque os deputados Guilherme Landim, Fernando Santana e Fernanda Pessoa.
Legenda: Os deputados Guilherme Landim (à esquerda), Fernando Santana (centro) e Fernanda Pessoa (à direita) são relator, presidente e vice-presidente, respectivamente, da comissão que vai avaliar a concessão da Enel no Ceará.
Foto: Dário Gabriel/AL-CE

Na Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE), na reunião que definiu o comando da comissão especial que vai avaliar o contrato de concessão da Enel, um bate-boca entre os deputados estaduais Júlio César Filho (PT) e Delegado Cavalcante (PL) acabou com menção à novela global 'Pantanal'.

Tudo começou quando Delegado Cavalcante, que é membro titular da comissão, se sentiu ofendido por não ter sido eleito relator do colegiado, já que, desde 2019, tenta movimentar a Casa em torno de investigações sobre o serviço prestado pela Enel — empresa que distribui energia para o Ceará.

"Não combinaram comigo. Todo mundo tem meu telefone aí. (...) Acho que foi um despropósito, um desrespeito com a minha pessoa", lamentou Cavalcante.

Depois disso, o parlamentar aproveitou para se queixar de outros dois momentos em que se sentiu preterido pelos colegas. O primeiro, quando propôs uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) em 2019 para investigar irregularidades cometidas pela Enel e pelo menos oito deputados retiraram suas assinaturas do requerimento, barrando o processo. E, o segundo, mais recentemente, quando voltou a propor a abertura da CPI após o anúncio do aumento em torno de 25% nas contas de energia no Estado.

"Na segunda CPI, o líder do Governo (Júlio César Filho) disse: 'não vamos dar palanque à oposição'. Eu não quero palanque, quero defender a população do Ceará. Com os quatro stents que tenho no coração, não preciso estar me aborrecendo com leviandade. Acho que fui ofendido", alegou Cavalcante, que participava da reunião remotamente e disse estar, naquele momento, "nos matos" do município de Maranguape "defendendo os cidadãos de bem" de facções criminosas.

Retrucada


Embora não seja membro titular da comissão, o deputado Júlio César Filho, líder do governo na Casa, pediu a palavra pouco depois de Cavalcante e rebateu as críticas do colega.

O petista disse: "Vamos acabar com esse discurso fácil, inflamado, delegado. Vossa excelência fala meu nome várias vezes. Não autorizo vossa excelência a colocar palavras na minha boca. Sua proposta de CPI caiu por terra porque os deputados não embarcaram na sua aventura, que, por acaso, notaram que tinham outros objetivos. Não tenho culpa".

Depois daí, o parlamentar se referiu à última fala de Cavalcante, que disse estar "nos matos" de Maranguape, e mencionou a novela da Globo em reprise atualmente.

"Vossa excelência tenha cuidado para não ficar perdido aí no Interior, ou nas matas de Maranguape, como na novela Pantanal, vir uma onça caçar vossa excelência e vossa excelência não tenha que correr para cá para colocar o quarto stent", retrucou Julinho. 

Comando da comissão


A comissão que vai avaliar a concessão da Enel no Ceará é comandada pelos deputados Fernando Santana (PT), como presidente; Fernanda Pessoa (União Brasil), como vice-presidente, e Guilherme Landim (PDT), como relator.

Estavam inscritas duas chapas para concorrer à presidência do colegiado. Concorriam em um grupo os deputados Delegado Cavalcante (PL), Apóstolo Luiz Henrique (Republicanos) e Fernanda Pessoa (UB). Do outro lado, a chapa governista tinha como formação inicial Fernando Santana, Leonardo Araújo (MDB) e Guilherme Landim (PDT).