Após bloquear página de Eduardo Bolsonaro, Facebook suspende restrição e diz que medida foi indevida

O bloqueio se deu após o parlamentar questionar pesquisas eleitorais em uma publicação, usando uma imagem do ditador nazista Adolf Hitler

Deputado federal Eduardo Bolsonaro
Legenda: Facebook bloqueou postagens do deputado federal Eduardo Bolsonaro por 30 dias, mas revogou a decisão
Foto: AFP

Após impedir publicações por 30 dias na página do Facebook do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), a empresa decidiu anular a punição na tarde desta terça-feira (20). As informações são do G1.

A restrição, que durou seis dias, se deu após o parlamentar questionar pesquisas eleitorais em uma publicação, usando uma imagem do ditador nazista Adolf Hitler, com uma frase atribuída a ele. 

Deputado tentou reverter a situação na justiça

O deputado chegou a acionar o Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) na tentativa de ter a conta liberada, mas o pedido foi negado, ainda nesta segunda-feira (19).

A rede social, no entanto, decidiu revisar a medida por conta própria e, em nota enviada ao G1, disse que "o post de Eduardo Bolsonaro foi removido indevidamente e já foi restaurado".

O bloqueio na página do deputado foi aplicado em 14 de julho. As últimas publicações dele, até a medida, foram em 12 de julho. A postagem que motivou a restrição ocorreu em 10 de julho.

Eduardo Bolsonaro reproduziu manchetes de reportagens que indicavam a derrota do pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), nas eleições de 2022.  "Torne a mentira grande, simplifique-a, continue afirmando-a e eventualmente todos acreditarão nela", dizia a frase do post, com a imagem de Hitler. 

2º caso em pouco mais de um mês

Esta não é a primeira punição aplicada pelo Facebook ao parlamentar. Em junho, ele foi impedido de postar após fazer uma publicação sobre um relatório falso do Tribunal de Contas da União (TCU), com dados sobre mortes por Covid.

Na ocasião, ele acionou a Justiça do Distrito Federal, alegando que a plataforma classificou a postagem como "desinformação que pode causar dano físico" e que o proibiu de publicar e comentar na rede social. 

Assim como no caso recente, ele ficou alguns dias impedido de postar. Em nota, a plataforma disse que "o perfil de Eduardo Bolsonaro foi colocado temporariamente em modo leitura devido a uma questão técnica, o que significa que ele não pôde postar a partir de seu perfil por alguns dias. Já removemos o modo leitura do perfil do deputado", disse. 

 


Assuntos Relacionados