Reações a Regina Duarte no Governo Bolsonaro expõem polarização

Ex-ministros e artistas opinaram sobre a escolha da artista para assumir a Secretaria de Cultura do Governo Bolsonaro. Personalidades cobram defesa da liberdade de imprensa e também destacam trajetória de sucesso da atriz

Legenda: Atriz Regina Duarte expressou cautela ao falar sobre a possibilidade de entrar no Governo: "estamos noivando"
Foto: Foto: TV Globo

Ao aceitar, nesta segunda-feira (20), participar de uma fase de testes no cargo de secretária da Cultura do Governo Federal, a atriz Regina Duarte provocou reações opostas no meio artístico, refletindo o clima de polarização ideológica entre críticos e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

"Nesse cargo, ela tem que lidar com a diversidade e a liberdade de expressão. Mas Bolsonaro fala de fazer filtros, porque algumas artes, segundo ele, ofendem a família. Não acredito que ela vá mudar esse quadro de dirigismo cultural", disse Ana de Hollanda, ex-ministra da Cultura no governo de Dilma Rousseff (PT).

Houve também reações irônicas ao anúncio. "Quero ver como ela vai fazer sem o (autor) Dias Gomes para lhe escrever as falas", alfinetou o escritor Ruy Castro, em alusão à novela de sucesso da atriz, "Roque Santeiro" (1985-1986), onde encarnou a personagem Viúva Porcina.

A trajetória bem-sucedida de Regina no meio artístico foi destacada como um dos trunfos da atriz para comandar a área cultural do Governo.

"Estou torcendo para que ela permaneça, convença o presidente da importância estratégica da arte, da cultura e da economia criativa para o desenvolvimento do País e realize um ótimo trabalho, com absoluto respeito à liberdade de expressão e de criação. Regina é bem intencionada e conhece a área. Mas vai precisar de respaldo interno e apoio externo para atingir seus objetivos", comentou Sérgio Sá Leitão, ex-ministro da Cultura no Governo Michel Temer (MD).

Segundo a Secretaria de Comunicação da Presidência, a atriz estará em Brasília amanhã (22) para conhecer a Secretaria Nacional de Cultura e afirmou estar "noivando" com a Pasta.

Globo

Para assumir a Pasta, a atriz terá de suspender seu contrato com a Rede Globo. "A atriz Regina Duarte tem contrato vigente com a Globo e sabe que, se optar por assumir cargo público, deve pedir a suspensão de seu vínculo com a emissora, como impõe a nossa política interna de conhecimento de todos os colaboradores", informou o departamento de Comunicação da Globo.

A escolha da atriz para a Secretaria de Cultura ocorre depois de um episódio conturbado que acabou com a demissão de Roberto Alvim da Pasta na última sexta-feira.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a ideia do Governo é que a atriz ajude a "pacificar" o setor, um dos pontos fracos neste início de gestão de Bolsonaro.

Nesta segunda, após encontro com o presidente Jair Bolsonaro, a Secretaria de Comunicação da Presidência emitiu o seguinte comunicado: "Após conversa produtiva com o presidente Jair Bolsonaro, Regina Duarte estará em Brasília na próxima quarta-feira, 22, para conhecer a Secretaria Nacional de Cultura do Governo Federal. 'Estamos noivando', disse a artista após o encontro ocorrido nesta tarde no Rio de Janeiro", cita o comunicado que não deixa claro, no entanto, se ela aceitou o convite.

Em rede social, a atriz comentou antes do encontro o seguinte: "Sou cristã. Católica. O feriado de hoje no Rio é dedicado a São Sebastião. Nada acontece por acaso. Olha só, querido seguidor, que dia importante pra ter sido chamada ao Rio pra uma conversa 'olho no olho' do nosso presidente da República. Olha quanta simbologia contém a vida deste homem santo. Tenho sido - e quero continuar sendo - grata à vida por tudo o que ela me apresenta. De tudo quero tirar uma lição, um aprendizado. E vambora! Com muito amor no coração!".