Luizianne Lins é a prefeita da Capital

Legenda:
Foto:
Luizianne de Oliveira Lins (PT), natural de Fortaleza, deputada estadual e ex-vereadora da Capital cearense, 36 anos a completar no dia 11 próximo, filha de José Sérgio Austregésio Lins e Luiza Maria de Oliveira Lins assumirá a Prefeitura de Fortaleza, dia 1° de janeiro de 2005, para um mandato de 4 anos. Ela foi eleita ontem, no segundo turno das eleições municipais, disputando com o candidato do PFL, deputado federal Moroni Torgan.

A primeira mulher eleita prefeita de Fortaleza foi Maria Luiza Fontenele, nos anos 80, também pela legenda do PT. Hoje Maria Luiza não integra mais os quadros do Partido dos Trabalhadores. Luizianne é a segunda mulher a se eleger prefeita desta Capital. Nas eleições deste ano ela foi a única mulher a participar do pleito majoritário. Luizianne, que é Jornalista, antes de ser vereadora e hoje deputada estadual, era funcionária pública municipal e professora da Universidade Federal do Ceará, na Escola de Comunicação.

´É uma vitória histórica do povo desta cidade. O povo está entendo que esta é a única candidatura que, sinceramente, pode transformar esta cidade, pode começar a reconstruir Fortaleza´. Com estas palavras de otimismo, a deputada Luizianne Lins (PT) acolheu a imprensa, ontem pela manhã, na Assembléia Legislativa, antes de votar.

Ela chegou no local por volta das 10:40h e levou cerca de dez minutos até chegar na seção 521, da 1ª Zona Eleitoral, onde votou. A candidata do PT à Prefeitura de Fortaleza foi recepcionada pelo seu companheiro de chapa, Carlos Veneranda (PSB), e por diversos parlamentares, militantes e simpatizantes da coligação Fortaleza Amada (PT/PSB).

Mesmo ressaltando que ´só se ganha eleição depois que contar o último voto´, a expressão de confiança em sagrar-se vitoriosa neste pleito não afastou-se da candidata. Confiança esta que traspassou às lideranças que foram ao local prestigiar a votação da candidata. ´Fortaleza começou a torcer por esse projeto ´Por Amor a Fortaleza. Mas temos que ficar atentos e vamos fiscalizar a votação até o final do dia´, anunciou Luizianne Lins, informando ter recebido notícias de que a coligação Liberta Fortaleza (PFL/PAN/PTC), do concorrente Moroni Torgan, estava praticando atos que feriam a legislação eleitoral.

ASSÉDIO - A candidata do PT foi bastante assediada no local de votação. Pacientemente, Luizianne Lins revezou-se entre conceder entrevistas e atender ao assédio dos demais presentes. Ela posou para fotos, distribuiu autógrafos e reafirmou seus compromisso para com a administração da cidade. ´É o reconhecimento não da Luizianne. É o reconhecimento do que essa candidatura representa hoje para a cidade de Fortaleza´, pontuou. Um grupo de militantes petistas advindos do Piauí chamou a atenção da candidata, com as frases de ordem: ´é pra lutar, é pra vencer. Luizianne é a perfeita do PT´.

O compromisso com a chamada operação ´Fortaleza Bela´, ação emergencial proposta por Luizianne Lins, foi reforçado ontem. Segundo ela, serão feitas, nos primeiros 60 dias de sua gestão, a limpeza geral na cidade e a recuperação da malha viária. A ação será complementada com a desobstrução de canais, esgoto e córregos, em uma preparação para o período chuvoso. ´Vamos evitar que irmãos nossos corram perigo nas áreas de risco, que tenham dano no seu mínimo patrimônio ou na sua integridade física´, salientou a petista, anunciando que vai procurar envolver toda a população desta operação.

Luizianne Lins falou ainda do que todo este movimento, que começou com as discussões internas do partido sobre o processo eleitoral, significou para o PT. ´Não tem jogo de cartas marcadas, não tem estrutura financeira que garanta eleição nenhuma. O que garante eleição é o compromisso e a aliança fundamental com a força do povo. Nosso povo está vivo, está atento, participando e cada vez mais consciente. Acho que temos essa responsabilidade e foi muito importante pro PT entender isso´, declarou a deputada, colocando ainda que a ´democracia não é um fim e sim um meio que precisa estar sendo exercitado´.

LOCAL - A movimentação na Assembléia Legislativa, no início da manhã, foi pequena. Poucos foram os eleitores que dispuseram-se a votar cedo. Em virtude de alguns transtornos verificados no primeiro turno, em decorrência do assédio proporcionado pela votação da candidata Luizianne Lins, a disposição das seções na Assembléia foi invertida. Isso acabou surpreendendo alguns eleitores, porém sem que fosse notificada reclamação maior. Com o objetivo de dar mais privacidade à candidata, a seção 521 foi isolada e colocada próxima a um dos portões de saída da Casa Legislativa.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política