Assembleia aprova convênio do Estado para aumentar frota de ônibus na Capital

Para evitar aglomerações, Governo do Estado vai transferir recursos à Prefeitura de Fortaleza par ajudar a bancar os 200 ônibus extra

Legenda: Projeto do Governo do Estado foi aprovado para celebrar convênio com a Prefeitura de Fortaleza que vai permitir o aumento da frota de ônibus na capital
Foto: José Leomar

A Assembleia Legislativa aprovou, nesta quinta-feira (25), projeto de lei para a celebração de um convênio entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Fortaleza para aumento da frota de ônibus na capital cearense. O Estado vai transferir recursos à Prefeitura para ajudar a bancar o aumento de 200 ônibus a mais que estarão nas ruas.

[Atualização às 16:30, de 25/02/21] O Diário do Nordeste noticiou anteriormente que o projeto aprovado pela Assembleia seria para a inclusão de 200 novos ônibus nas ruas de Forteza para tentar reduzir as aglomerações. A informação correta, entretanto, é que os recursos serão para ajudar a bancar os 200 veículos extra já em circulação, em parceria com a Prefeitura de Fortaleza. A informação errônea foi repassada à reportagem pela liderança do governo na Assembleia e corrigida a pós a publicação dessa reportagem.

 

Aprovada pelos deputados estaduais, a medida passará a valer após sanção do governador Camilo Santana (PT).

De acordo com o projeto, o convênio será estendido para os serviços de transporte coletivo urbano da Região Metropolitana de Fortaleza. O Governo defende que a ação compartilhada entre Estado e Prefeitura para viabilizar, financeiramente, a ampliação da frota de ônibus tem o objetivo de evitar "ao máximo" aglomerações nesse serviço de transporte.

O total de 200 ônibus já foi acrescentado, no início deste mês, à frota de coletivos nos horários de pico de circulação de passageiros, de 4h30min às 8h e de 15h às 18h.

Eventos

Os deputados estaduais também aprovaram edital no valor de R$ 4 milhões para a realização de eventos corporativos online, como feiras, seminários, congressos e exposições. A medida faz parte do pacote de socorro ao setor de eventos, um dos mais prejudicados na pandemia.

A proposta veda que os recursos sejam destinados a realização de ações que possam configurar a promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política