Covid-19, o inimigo do turismo

Sou maranhense de Caxias, mas Fortaleza me abraçou há 37 anos, e, por isso, lhe tenho muita admiração, porque dizem que a sua terra é aquela que o acolhe.

Desde que aqui cheguei, vi nesta Capital um potencial imensurável para o turismo, pelo muito que tem e oferece à gente de fora, com suas lindas praias, bom clima, muita cultura e valorização da arte e de uma excelente culinária, além da lhaneza de trato do seu povo.

Com isso, os empresários vendo o crescimento do setor a cada dia, gerando empregos e riquezas, não titubearam e investiram pesadamente nas redes hoteleiras e em veículos de deslocamento. Os governos municipal, estadual e federal, por sua vez, também, trabalharam nas superestruturas modais, em aeroportos, portos e terminais de passageiros.

Agora, vem a inoportuna pandemia do novo coronavírus e joga tudo no ralo, fazendo com que tudo fique parado com incalculáveis prejuízos e danos, sem previsão de quando voltará à normalidade. Faz-se necessário, com urgência, uma solução para o impasse, descobrindo uma vacina que possa imunizar toda a população. Assim, a atividade turística, de tamanha importância para a sociedade e para a economia, volta a funcionar em toda a sua plenitude, para alegria e felicidade de todos nós. Um melhor treinamento da mão de obra deverá ser implementado, voltado na formação de garçons, atendentes, motoristas de táxi e correlatos, pessoal de hotelaria, vendas de artesanato e produtos da terra.

Nosso maior desejo é que a crise passe - o mais rápido possível - e o nosso Brasil continue sendo um destino certo para o turismo, que é a indústria que mais cresce e transforma realidades, com participação muito expressiva no produto interno bruto (PIB).

Antonio Cruz Gonçalves

Empresário


Assuntos Relacionados