Turmas olímpicas proporcionam aprendizado mais amplo para estudantes

Projeto de Olimpíadas no Colégio Santa Cecília se inicia no 6º ano do Ensino Fundamental e segue até o 3º ano do Ensino Médio. Estudantes acumulam bons resultados com o passar dos anos

Escrito por Agência de Conteúdo DN,

Metro
Legenda: A estudante Isadora de Freitas foi vencedora da medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Biologia
Foto: Divulgação

Preparo, foco e constância no aprendizado são questões cotidianas para qualquer estudante que deseja se destacar. Dentro de um cenário mais intenso de estudos, é natural a busca por mais desafios. Dessa forma, as olimpíadas escolares são oportunidade de não somente resolver problemas ou questionamentos mais complexos, mas também proporcionar ao estudante novas perspectivas sobre os temas que mais lhe interessam. 

Foi assim para a estudante Isadora de Freitas, aluna do 2º ano do Colégio Santa Cecília. Única representante entre as escolas de Fortaleza a ganhar a medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Biologia (OBB), Isadora comenta que viu no preparo para as olimpíadas uma forma de treinar aspectos que vão além do conteúdo, como o gerenciamento do tempo do exame. A estudante foi uma das 25 selecionadas a se classificarem para a Seletiva Internacional de Biologia.

Em relação a como une os estudos com o restante da rotina, Isadora afirma que mantém um cronograma organizado, com sessões de estudo diárias mesmo em dias mais livres. “Todavia, esses estudos tornam-se mais leves na medida em que consigo conciliá-los, na maioria das vezes, com outras atividades e momentos com a minha família. E, principalmente, porque, mesmo nos dias em que estou mais cansada, a sensação de aprender algo novo ou saber fazer um tipo de questão que até poucas horas antes eu ainda não sabia me faz muito bem”.

Isadora, que pretende cursar Medicina no futuro, agora se prepara para participar da Seletiva Internacional de Biologia, como representante do Ceará. Atualmente, os estudos estão sendo divididos tanto com os professores do Colégio Santa Cecília quanto com professores e pesquisadores do Instituto Butantan, responsável pela organização da OBB.

De acordo com Gilson Rebouças, coordenador das Olimpíadas Santa Cecília, o objetivo do Projeto de Olimpíadas no Colégio é descobrir e desenvolver talentos. Para tanto, os alunos veem conteúdos de séries superiores, ficando à frente das turmas de currículos regulares. O coordenador também destaca a interação e o intercâmbio de conhecimento com outros alunos Brasil afora, pois viagens são tradicionais para alunos olímpicos. 

Atualmente, o Colégio Santa Cecília oferta turmas olímpicas em cinco disciplinas: Matemática, Física, Biologia, Química e História.

Sobre os desafios impostos pela pandemia de Covid-19 desde 2020, Gilson explica que algumas provas não foram realizadas em 2020, enquanto outras mudaram o formato da competição. “Mesmo assim, continuamos focados na preparação, pois urge o desenvolvimento científico e o enfrentamento da maioria das olimpíadas que se reinventaram num período recorde com provas on-line”.

Fabiano Matoso, professor de Física do Colégio Santa Cecília, explica que, mesmo no 3º ano, é comum que os estudantes ainda estejam em dúvida sobre qual curso universitário escolher. Com o aprofundamento nos temas que são comuns ao ensino olímpico, um leque de possibilidades acaba se abrindo para os alunos. “Os professores terminam instigando, influenciando na área das ciências. Então, muitos desses alunos acabam se tornando cientistas, procurando as áreas de formação no ensino superior voltadas para tecnologia”.

Família presente

Além do empenho individual de cada estudante, o suporte familiar e da escola são fundamentais para se obter bons resultados nas olimpíadas. Para Gontran Gifoni, pai de dois alunos de olimpíadas do Colégio Santa Cecília, Júlia e Gontran Luís, manter um apoio junto à escola e ao lado de outros pais auxilia no momento de estudo e aprofundamento em determinadas disciplinas dos filhos, como forma de buscar a vocação do estudante. “Este é o papel da família. Estar ali do lado. Tentar descobrir essa vocação mais cedo e investir nela, para que ela seja, realmente, uma fonte de felicidade para nossos filhos, uma fonte de crescimento físico, mental e espiritual”.

Legenda: O suporte familiar é importante no dia a dia da estudante Júlia Gifoni
Foto: Divulgação

O contato dos filhos com as olimpíadas começou por Júlia, em 2017, quando cursava o 6º ano do Ensino Fundamental, nas provas voltadas para a disciplina de Matemática. Por também ter participado de um projeto de olimpíadas durante seu período como estudante, Gontran explica que o incentivo foi natural. “Temos que sempre aguardar o interesse do filho, não podemos colocar, impor nada, é interessante que venha deles próprios. Ainda bem que veio também do lado dela, porque é uma forma de incentivar pela ciência, pela meritocracia, correr atrás dos seus limites, conhecer, experimentar todas as áreas de conhecimento para saber o que você gosta e o que não gosta”.

Com Júlia atualmente no 1º ano do Ensino Médio, Gontran comenta que a filha já experimentou áreas diferentes de olimpíadas para buscar seus reais interesses. O filho mais novo, Gontran Luís, aluno do 6º ano, participou das primeiras experiências recentemente. “Está muito motivado com os amigos dele e ficam discutindo, acompanham os resultados. E quer procurar ter os resultados também, fica avaliando e comenta comigo. Resolvemos também algumas questões juntos. É interessante, a história vai se repetindo”, explica o pai.  

Para Aldênio Cyrino, coordenador-geral do Colégio Santa Cecília, a participação dos alunos nas provas de olimpíadas traz a conquista como resultado dos desafios. Contudo, ele também pondera que não se pode haver um esforço “a qualquer custo”, ou seja, que, durante o processo de aprendizado, haja também uma formação pessoal do estudante. 

Serviço:

Turmas olímpicas no Colégio Santa Cecília:
Matemática: do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio
História: do 8º ano ao 3º ano do Ensino Médio
Química: do 8º ano ao 3º ano do Ensino Médio
Física: do 9º ano ao 3º ano do Ensino Médio
Biologia: do 9º ano ao 3º ano do Ensino Médio

Informações com a Coordenação a partir de agosto: gilson.freitas@santacecilia.com.br,
(85) 99620.0614
Portal: santacecilia.com.br
Instagram: @colegiosantacecilia