Templos religiosos no Ceará celebrarão Natal com limitação de pessoas e transmissões online

Saiba como as diferentes religiões celebrarão o Natal em 2020 no Ceará

O coral de Natal foi uma das atrações suspensas na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias durante a pandemia
Legenda: O coral de Natal foi uma das atrações suspensas na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias durante a pandemia
Foto: Arquivo pessoal

Nas mais diversas crenças, o Natal é sinônimo de alegria, gratidão e união. Em tempos de pandemia, no entanto, as imposições da Covid-19 e o temor de uma possível segunda onda do vírus no Ceará fazem com que representantes das religiões limitem a quantidade de pessoas, suspendam festas e busquem alternativas para a data festiva.  

A preparação para o dia 25 começava já no início de dezembro nas  80 sedes da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias no Estado. “Fazemos os ensaios para as apresentações dos corais, além do costume de fazer doações humanitárias durante o mês. No dia do Natal, temos reuniões e um jantar ecumênico, com uma parte espiritual, relembrando o nascimento de Jesus e depois ceiamos juntos”, lembra Élder Henrique Simplício, setenta autoridade de área-Brasil.

Contudo, neste ano, toda a programação tradicional não acontecerá.  “Não faremos as celebrações presencialmente nos nossos templos e capelas. A orientação é que seja feita de forma remota, tanto para o Natal quanto para o Ano Novo. Também pedimos que as famílias devem estar reunidas em casa, apenas com o núcleo familiar mesmo, sem grandes aglomerações”.  

“Sabemos que o Natal é um momento especial, significa muito para nós, mas precisamos pensar nos cuidados com o próximo”, explica Élder. 

Na Tenda Espiritualista Mãe Tutu, localizada na comunidade do Brooklyn, no bairro Luciano Cavalcante, os ritos de fim de ano também sofrerão mudanças. Anteriormente, até 80 pessoas participavam da ritualística. “Na Umbanda, os rituais de fim de ano vão de acordo com cada casa. Na Tenda, a gente finaliza o ano com uma louvação a Oxóssi, povo de mata, junto comigo, os filhos da casa e os convidados, aqueles que vêm receber o axé”, explica Mãe Telma.

Por causa do vírus, Mãe Telma pontua que apenas os filhos da casa estão presentes nas celebrações deste ano, cerca de 23 pessoas. “A minha casa abre as portas para receber pessoas independente de etnias ou crenças. Porém, nesse ano, a diferença vai ser enorme, mas vamos lembrar de todas aquelas pessoas que não vão poder estar presentes”.  

Na Tenda Espiritualista Mãe Tutu, o gira de Oxóssi deve acontecer apenas com os filhos da Casa, cerca de 23 pessoas
Legenda: Na Tenda Espiritualista Mãe Tutu, o gira de Oxóssi deve acontecer apenas com os filhos da Casa, cerca de 23 pessoas
Foto: Camila Albano

Junto com a Tenda, a Mãe de Santo criou um projeto em prol da comunidade local, há quase sete anos. Neste Natal, a campanha foi nomeada de “Natal do Axé” e tem como objetivo arrecadar e doar 40 cestas básicas com alimentos da época, além dos considerados necessários. “A gente se propôs a cuidar da comunidade como eles cuidam da gente. É como se fossem pessoas da família”, diz. 

“Tentamos ter uma positividade consciente, sabendo que tudo o que a gente emana, a gente recebe. Apesar de toda a dor que vivenciamos, nós vamos agradecer e pedir pelo ano aos Orixás”, conclui Mãe Telma.

Já nas mais de quatro mil igrejas evangélicas do Ceará não deve ocorrer peças teatrais ou grandes festas, de acordo com o Pastor Sandro Fiúza, também representante da religião no Comitê Covid19 do Governo do Estado. “Em função da Covid-19, não teremos peças teatrais, nem coral. O que faremos é o culto de gratidão mesmo, no dia 25, seguindo todos os protocolos sanitários que o vírus impõe”, coloca.

“No ano passado, na semana do Natal, tivemos peças, musicais, apresentações em teatros, no Centro de Eventos, e neste ano está restritro”. 

Na Tenda Espiritualista Mãe Tutu, o gira de Oxóssi deve acontecer apenas com os filhos da Casa, cerca de 23 pessoas
Legenda: Na Tenda Espiritualista Mãe Tutu, o gira de Oxóssi deve acontecer apenas com os filhos da Casa, cerca de 23 pessoas
Foto: Camila Albano

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza