Semana Santa é celebrada até domingo (4), veja o que cada dia representa para os cristãos

Sexta-feira (2) é um feriado nacional e marca o dia da 'Paixão de Cristo'

Escrito por Redação,

Metro
semana santa
Legenda: Tradicionais missas da Semana Santa serão realizadas de forma virtual neste ano
Foto: Kléber A. Gonçalves

O último domingo (28) marcou o início da Semana Santa, uma tradição da Igreja Católica que celebra a morte a ressurreição de Jesus Cristo. Sexta-feira (2) é feriado nacional e marca o dia da 'Paixão de Cristo'.

A Semana Santa é a última da Quaresma - período iniciado na quarta-feira de Cinzas, último dia do Carnaval, em que católicos se dedicam à penitência em preparação para a Páscoa.

Este ano, as celebrações devem ocorrer de forma virtual em todo o Ceará. O decreto de isolamento social rígido, que vale até domingo (4), proíbe atividades religiosas presenciais e outros serviços não essenciais. 

Segundo a Confederação Nacional de Bispos do Brasil (CNBB), a tradição de celebrar a Semana Santa já ocorria na Alexandria, no século III. Em cada dia, ocorridos da vida de Jesus Cristo - da morte à ressurreição - são celebrados.

Veja o que cada dia representa para a Igreja

Domingo de Ramos (28)

Celebra a entrada de Jesus Cristo em Jerusalém, quando o povo cortou ramos e folhas de árvores para cobrir o chão por onde ele passou. A chegada despertou desconfiança e medo de sacerdotes, que começaram uma trama para condená-lo a Morte.

Segunda-feira Santa (29)

Jesus chega a Betânia e faz a última visita aos amigos, anunciando que sua hora havia chegado. O Evangelho segundo São João é proclamado durante a missa.

Terça-feira Santa (30)

Jesus anuncia sua morte e seu traidor, beijando Judas. Na missa, há leitura do canto de Javé e do Salmo 70.

Quarta-feira Santa (31)

A Igreja realiza a 'procissão do encontro' entre mãe e filho, quando homens saem com a imagem de Nosso Senhor dos Passos e as mulheres, com Nossa Senhora das Dores. O "Sermão das Sete Palavras" é proclamado.

Quinta-feira Santa (1)

Dia da Última Ceia. Antes do jantar, Jesus Cristo lavou os pés dos discípulos, ensinando sobre humildade. Na ceia, Jesus partiu pão e vinho e partiu, explicando que simbolizavam seu corpo e sangue. 

Ao fim do jantar, Judas saiu para entregar Jesus às autoridades. Após cantarem um hino e orarem, guardas chegaram para prender Jesus. Ele foi levado para a casa do sumo-sacerdote para ser julgado. 

A missa celebra a Ceia do Senhor. Também são realizadas as cerimônias litúrgicas da bênção dos santos óleos - do Crista, dos Catecúmenos e dos enfermos - e de lava-pés. 

Sexta-feira Santa (1°)

Jesus Cristo morre crucificado. Ele foi interrogado, espancado e chicoteado. Guarda romanos colocaram uma coroa de espinhos em sua cabeça. Ele foi crucificado por volta de 12h, ao lado de dois ladrões. Às 15h, Cristo morreu e foi sepultado em um lugar próximo. 

A Via-Sacra representa o caminho de Jesus até a crucificação e morte, com 14 estações da Via-Crucis. 

Sábado Santo

A pedra que fechava o túmulo de Jesus Cristo foi lacrada e soldados romanos guardavam a entrada do local, para evitar que o corpo dele fosse roubado. 

A igreja realiza a vigília pascal, junto ao sepulcro de Cristo, meditando sua morte. À noite, uma celebração de bênção do fogo acende a fogueira e as velas do Círio Pascal, que representa Cristo Ressuscitado. Em seguida, a Páscoa é proclamada.

Também há tradição da 'queima de Judas'.

Domingo de Páscoa

Dia da ressurreição. O corpo e o espírito de Cristo foram reunificados. A pedra que cobria o túmulo foi removida e um anjo apareceu. Ao fim do dia, Jesus apareceu para todos os discípulos. 

'Páscoa' significa a passagem da escravidão para a liberdade. É o dia mais santo para a Igreja.