Pele de tilápia: pesquisa cearense vence prêmio nacional de medicina e ganha 500 mil euros

Projeto “A Pele de Tilápia: Um Novo Biomaterial para Tratamento de Queimaduras, Feridas, Cirurgias Ginecológicas e Medicina Regenerativa” concorreu com outros 1.654 de todo o Brasil e levou premiação do 1º lugar

Legenda: Mais de 200 pesquisadores integram a equipe de pesquisa sobre a pele de tilápia
Foto: Divulgação

A pesquisa cearense “A Pele de Tilápia: Um Novo Biomaterial para Tratamento de Queimaduras, Feridas, Cirurgias Ginecológicas e Medicina Regenerativa” venceu, na noite dessa quinta-feira (24), o Prêmio Euro Inovação na Saúde, considerado o maior da medicina no Brasil. Pelo 1º lugar, a equipe do Ceará levou 500 mil euros, o equivalente a mais de R$ 3 milhões.

No total, de acordo com a organização do prêmio, foram 1.655 projetos inscritos no Brasil e mais de 15 mil médicos participando por meio de votação. Segundo o médico Edmar Maciel, cearense coordenador da pesquisa, a premiação foi dividida em quatro etapas de votação, que duraram cerca de um ano – período que culminou no reconhecimento máximo.

“Isso é um reconhecimento para todo o nosso grupo de pesquisa, e é um orgulho muito grande estar desde o início, coordenar a pesquisa e essa equipe – e mostrar que é possível, sim, com seriedade e dedicação, fazer pesquisa no nosso país, no Nordeste e, principalmente, no Ceará”, pontua Dr. Edmar.

O médico estuda o uso da pele de tilápia em queimaduras, inicialmente, e depois em feridas, cirurgias ginecológicas e outras aplicações regenerativas há seis anos. Além do Ceará, os estudos são desenvolvidos em mais seis estados e em sete países. “Tomou uma dimensão muito grande, já ganhamos 16 prêmios em primeiro lugar. E estamos desenvolvendo vários produtos, estudando em animais, para depois testar em humanos. O prêmio será investido nisso”, revela o médico.

O “curativo biológico temporário”, como definiu Edmar Maciel, começou a ser utilizado em mais de 50 pacientes do Núcleo de Queimados do Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza, e foi expandido para outras localidades. Recentemente, todo o estoque de 40 mil cm² de pele de tilápia foi oferecido ao Libano, para ajudar no tratamento de queimaduras das vítimas da explosão que deixou milhares de feridos, na capital Beirute.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Redação 29 de Outubro de 2020
Redação 29 de Outubro de 2020