Mais de 10 toneladas de óleo são retiradas da Praia do Cumbuco, diz Prefeitura de Caucaia

Resíduo foi recolhido numa extensão de 5km; manchas chegaram nessa terça-feira (5) a um dos pontos mais importantes do Litoral Oeste do Ceará

Legenda: O litoral do Ceará foi afetado por grandes manchas de óleo no segundo semestre de 2019
Foto: Foto: Walber William/Divulgação

As manchas de óleo que atingem as praias do Nordeste desde agosto voltaaram a aparecer, na última terça-feira (5), na Praia do Cumbuco, em Caucaia. Mais de 10 toneladas de óleo já foram retiradas de uma extensão de 5km da orla, de acordo com o titular da Secretaria de Patrimônio, Serviços Públicos e Transporte (SPSPTrans) do município, Assis Medeiros. Situação de emergência foi decretada pela Prefeitura.

A parte mais atingida, segundo Assis, é o trecho entre o Condomínio Wai Wai e o hotel Vila Galé, mas “informações apontam que temos, pelo menos, 15km de áreas poluídas pelo óleo”, estima o secretário, também presidente do Comitê de Limpeza da Orla de Caucaia – composto por Pastas municipais, Marinha do Brasil e Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema). O comitê se reúne hoje para avaliar o panorama com o trade turístico.

Nesta quinta-feira (7), Assis e outros membros do comitê devem percorrer toda a orla do município “para mapear a situação”. “Há suspeita de que (as manchas de óleo) tenham chegado na Barra do Cauípe, mas nos últimos dois dias focamos no Cumbuco. Hoje, vamos verificar o restante”, declara. Uma tartaruga morta e manchada com óleo foi encontrada no Cumbuco.

300 pessoas
estão envolvidas, aproximadamente, na operação de limpeza em Caucaia, diz a Prefeitura. São mais de 100 agentes da Marinha, além de Sema e Pastas do município.

O titular da SPSPTrans afirma que as 10 toneladas removidas foram depositadas em caminhões da Marinha do Brasil, instituição responsável por dar a destinação correta à substância, que é tóxica. A Prefeitura de Caucaia não soube informar para onde o óleo está sendo levado.

Extensão

O boletim mais recente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), divulgado terça-feira (5), registra que 22 localidades no Ceará já foram afetadas pelo material, desde o início de setembro. No mesmo período, 44 tartarugas foram encontradas mortas nas praias cearenses; 11 delas tinham vestígios de óleo.

Seis equipes da Marinha percorrem os 573 km do litoral cearense, diariamente, três vezes por dia, de acordo com a Capitania dos Portos do Estado. O órgão havia afirmado, no início deste mês, que o litoral cearense estava limpo

As manchas de óleo, identificadas como petróleo cru, surgiram no litoral nordestino no fim de agosto. O Governo Federal investiga a origem do material para punir os responsáveis.
 



Redação 02 de Agosto de 2020