Mãe e filha fazem prova do Enem e querem curso na área de saúde para 'ajudar pessoas'

Após dois anos estudando juntas para o vestibular, Ruth e Sara realizam prova do mesmo local

Legenda: Mãe e filha estudam juntas por dois anos para fazer prova do Enem.
Foto: Theyse Viana

A doméstica Ruth Ester Costa de Santana Lacerda, 54, e sua filha Sara Abigail, 20, fazem prova do Enem com o objetivo de trabalhar na área da saúde "para ajudar pessoas". Após dois anos estudando juntas, mãe e filha prestam o vestibular pela segunda fez e realizam a prova no mesmo local, na Universidade Estadual do Cearaá (Uece).

Com uma rotina de estudos, Sara relata que a mãe foi a responsável por motivá-la. "Teve uma época que eu queria desistir. E aí, no ano passado, ela fez o Enem junto comigo para mostrar que eu consigo. E se não foi naquele ano, tenho outro para tentar de novo. Ela serviu de exemplo para mim. É muito bom ver uma mãe estudiosa, ela estuda comigo em casa e gente se ajuda", explica.

Ambas compartilham o sentimento de querer ajudar pessoas com sua profissão. Sara pensa em cursar Fisioterapia. "Eu me encantei pela área, porque fui bem cuidada. E eu quero cuidar de outras pessoas também", afirma a filha.

Já Ruth sonha em cursar enfermagem desde criança e salienta que todas as pessoas deveriam escolher a profissão por amor para serem bons profissionais. 

"É um sonho, porque eu amo a profissão. Eu brincava com as bonecas de enfermeira quando era criança. O que eu mais quero é trabalhar com idosos, com pessoas carentes, porque são as que mais precisam. Eu acho que você não tem que fazer enfermagem por dinheiro, tem que ser por amor, dedicação", relata.

Devido ao recente derramamento de óleos na praia e às queimadas na Amazônia, as duas arriscam que o tema da redação seja relacionado ao meio ambiente.

Enem 2019

Neste domingo (3), 294.994 inscritos no Enem devem fazer as provas da primeira fase desta edição, em 119 municípios cearenses. No primeiro dia de prova, serão aplicadas as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias e a Redação Dissertativa Argumentativa. 

No Ceará, a maioria dos candidatos são mulheres, com 164.199 (55,7%) registros, têm de 21 a 30 anos (22,3%) e já concluiu o ensino médio (45,6%). O exame, principal forma de ingresso no ensino superior em universidades públicas e privadas, apresentou uma redução de 10,48% no número de inscrições neste ano, frente aos 329.406 registros no estado, em 2018.
 


Assuntos Relacionados