Infográfico: saiba onde estavam as vítimas no momento do desabamento do Edifício Andrea

Com base em relatos de sobreviventes e no cruzamento de informações, a reportagem do Diário do Nordeste construiu um mapa de como estavam vítimas na hora do desabamento

Legenda: Defesa Civil sinalizou os apartamentos nos escombros
Foto: Foto: Helene Santos/Sistema Verdes Mares

O Edifício Andrea, localizado no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza, que desabou às 10h28 do dia 15 de outubro, tinha 13 apartamentos, sendo dois por andar até o 6º andar. No 7º andar, havia apenas um apartamento, que era a cobertura do prédio.

A frente do prédio ficava para a Rua Tibúrcio Cavalcante e fazia esquina com a rua Tomás Acioli. Os fundos da edificação ficavam para a Travessa Hilnete.  

Dos 13 apartamentos, dois estavam desocupados, sem moradores. Sendo assim, 11 apartamentos estavam ocupados por famílias. Desses 11, havia quatro apartamentos cujas famílias não estavam no momento do desastre e escaparam do desabamento.

Além disso, a síndica não estava em sua residência, mas no térreo. Dessa forma, seis apartamentos estavam ocupados no momento do desatre, seja por uma família completa, seja por apenas uma pessoa.

Outras duas vítimas estavam no mercadinho afetado pelo desmoranomento. O comércio ficava na rua Tomás Acioli.

Conforme o registro do imóvel em um cartório da Capital é datado de 1982, cada apartamento possuía área privativa de 136,44 m² e uma área comum de 28,86m². Apenas a cobertura, que era o apartamento nº 701, tinha uma área privativa maior, de 172,20m² e uma área comum de 36,51m².  

 

 

 

 



Redação 05 de Agosto de 2020