Fortaleza ganha centro de isolamento para pacientes com Covid-19

A nova estrutura, instalada no Centro de Formação Olímpica (CFO), beneficiará pacientes em situação de vulnerabilidade acometidos pela Covid-19. Refeições, ambulâncias 24h e quartos privativos serão ofertados

Escrito por Redação, metro@svm.com.br

Metro
Legenda: Espaço terá quartos privados. Pacientes receberão refeições do almoço ao jantar. Local deve atender a população mais carente da cidade
Foto: Thiago Gadelha

Os hospitais públicos e privados seguem recebendo pacientes com os mais diversos sintomas causados pela Covid-19. A preocupação com novos casos da doença faz com que o olhar para espaços de atendimentos sejam criados. A Prefeitura de Fortaleza segue investindo em medidas preventivas e assistenciais para conter os impactos do novo coronavírus na capital. A partir desta sexta-feira (17), o Centro de Formação Olímpica (CFO) sediará o novo Centro de Acolhimento e Isolamento Social (Cais) de Fortaleza.

Para se ter dimensão do impacto da doença, o número de diagnósticos positivos de Covid-19 no Ceará chegou a 144.058 na tarde dessa quinta-feira (16), conforme dados apresentados na plataforma Integra SUS. Outros 73.513 casos estão em investigação. Em número de óbitos, o Estado contabiliza 7.139 óbitos em decorrência da doença desde o início da pandemia.

 

Por meio da parceria com a Fundação Itaú, o Governo do Estado do Ceará e o Instituto da Primeira Infância (Iprede), pacientes diagnosticados com Covid-19 poderão cumprir o isolamento social na nova estrutura, a partir do encaminhamento das equipes de Estratégia da Família (ESF), ligadas aos postos de saúde.

A estrutura montada no CFO terá capacidade para 200 residentes temporários, além de oferecer área de lazer, alimentação e monitoramento constante dos sinais vitais. A unidade temporária será uma extensão da residência do usuário, viabilizando a quebra do ciclo de contágio e diminuição da circulação viral.

Atendimento

Para ser acolhido em uma vaga no Cais, o paciente precisa ter de 18 a 60 anos e estar com sintomas leves de Covid-19.

É importante ressaltar que o acolhimento desse paciente será solicitado e encaminhado por profissionais dos postos de saúde, não sendo este de portas abertas às pessoas.

A coordenadora das Regionais de Saúde de Fortaleza, Aline Gouveia, ressalta a importância da estrutura para a população mais carente. "O Cais será uma extensão da residência de pacientes diagnosticados, identificados pelas equipes da ESF, dos 114 postos, que estejam dentro do perfil e que não tenham condição de cumprir o isolamento domiciliar em função de dificuldades estruturais, a pessoa será acolhida durante um período de 7 a 14 dias. Isso garantirá maior segurança familiar", detalhou a gestora.

Para reforçar a segurança de pacientes que estarão em isolamento, unidades de saúde estarão vinculadas ao equipamento. "Pessoas acometidas pelo novo coronavírus estão sujeitas a intercorrências. Portanto, estaremos amparados, por meio de uma equipe de apoio, para realizar a avaliação e a eventual regulação para uma unidade de saúde maior em caso de necessidade, de acordo com a gravidade do quadro sintomático, como as Unidades de Pronto Atendimento (Upas). Além disso, haverá ambulância disponível 24h para casos que precisarem de socorro imediato", ressaltou.

O prefeito Roberto Cláudio vem destacando, ainda, a importância da atuação da Atenção Primária à Saúde para o fortalecimento da assistência à população. "É a própria Atenção Primária, por meio da Estratégia de Saúde da Família, que seguirá atendendo pessoas com quadros sintomáticos correspondentes à Covid-19 nos postos de saúde da cidade. A partir disso, serão orientados os protocolos a serem cumpridos", finalizou.