Fiscalização e “blitze” educativas ocorrem no Parque do Cocó com o aumento de casos da Covid no CE

Ação de conscientização da Sema alerta para a necessidade do uso de álcool gel, máscaras e para a manutenção do distanciamento social; descumprimento do uso de máscara pode gerar multa

Legenda: Medição de temperatura e limpeza das mãos com álcool gel serão procedimentos adotados durante ação no Parque do Cocó
Foto: Natinho Rodrigues

Com o crescimento de casos da Covid-19 no Ceará, ações de fiscalização para o uso de máscara e “blitze” educativas começam a ser realizadas, a partir deste sábado (24), no Parque Estadual do Cocó, segundo a Secretaria do Meio Ambiente do Ceará (SEMA). O objetivo principal é orientar a população acerca da importância de medidas de prevenção ao novo coronavírus, como o distanciamento social e a utilização obrigatória de máscaras de proteção. 

Em caso de descumprimento da última medida, frequentadores podem ser multados entre R$ 100,00 a R$ 300,00 pela infração. Dentre os agentes que participam dessa ação, com foco em horários de pico, finais de semana e feriados, há grupos da SEMA, a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) e o Batalhão de Polícia do Meio Ambiente (BPMA).  

“Haverá educadores ambientais da Sema com álcool gel medindo temperatura nas entradas e orientando as pessoas a adotarem procedimentos previstos em lei, como máscaras e distanciamento social”, aponta o órgão.

Referente aos cuidados voltados para crianças, o grupo infantil também precisa respeitar os protocolos de saúde adotados no Ceará. Desde o final de semana do dia da criança, 12 de outubro, as atividades recreativas retornaram ao local. 

Durante a ação, máscaras também serão distribuídas por agentes da Agefis. Medida educativa deve permanecer enquanto o decreto de medidas protetivas seguir em vigor. Desde agosto, segundo a lei nº 17.261, o uso da máscara facial de proteção individual passou a ser obrigatório em espaços públicos e privados no Ceará.

Casos

No começo do mês, quatro áreas de saúde do Ceará apresentaram aumento nas mortes por Covid-19 no comparativo entre o fim de agosto até o fim de setembro. Áreas Descentralizadas de Saúde (ADS) de Tauá, Brejo Santo e Juazeiro do Norte, no interior do Ceará, e Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza.

“Há alguns dias, o número de pessoas contaminadas voltou a subir, o que vem gerando adiamento nos protocolos de abertura por parte do governo do Estado”, aponta a SEMA, em nota.

Na última quinta-feira (22), a Região de Saúde de Fortaleza apresentou crescimento de 72% na quantidade de casos de doença em uma semana, segundo o boletim da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). Entre os dias 10 e 17 de outubro, os 44 municípios que formam a região registraram 743 novos casos - média de 106 por dia. Os oito óbitos confirmados no mesmo período também representam aumento de 33,3% em relação ao boletim anterior.

O Ceará concentra, até a tarde de sexta-feira (23), 269.255 casos confirmados de Covid-19 e 9.245 mortes em decorrência da enfermidade, segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Sesa, atualizada às 16h55. O número de pessoas recuperadas chega a 230.203, enquanto a taxa de letalidade em território cearense está em 3,4%.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza