Fenômeno astronômico que não ocorre desde 1226 será observado em dezembro; carta ajuda visualização

Conjunção de Júpiter e Saturno, com intensa aproximação do ponto de vista terrestre, não é observado desde 1226. Sistema Verdes Mares disponibiliza espécie de mapa para identificação do fenômeno

Legenda: Evento também poderá ser observado sem auxílio de equipamentos.
Foto: Bruno Gomes

Os cearenses poderão acompanhar a aproximação dos planetas Júpiter e Saturno, sempre após o pôr do sol, entre os dias 16 e 25 de dezembro - evento que não acontece com essas características desde a Idade Média. O fenômeno, conhecido como grande conjunção, será melhor observado no dia 21 de dezembro, e o Diário do Nordeste disponibiliza download de uma carta celeste para guiar a identificação. Outra visualização é esperada para o ano 2400.

A união dos dois planetas acontece a cada 20 anos, mas a intensa aproximação esperada pelos astrônomos não é vista desde março de 1226. Será possível observar o fenômeno sem uso de nenhum equipamento, como binóculos ou telescópio, e registrar por meio de câmeras. Uma nova oportunidade deve acontecer em março de 2080 e, depois, em 2400.

“Eles vão ficar próximos no céu e se você olhar a olho nu vão parecer um ponto só, quase um passando pela frente do outro. Quem tiver a oportunidade de usar um telescópio, vai conseguir ver as grandes luas de Júpiter e Saturno na mesma cena”, explica o astrônomo amador cearense, Lauriston Trindade, membro da Rede Brasileira de Observação de Meteoros (Bramon).

Lauriston indica a melhor visualização logo após o pôr do sol, no sentido poente, com destaque para o dia 21 de dezembro. “A cada novo dia eles vão ficando mais próximos até o máximo da aproximação e não vai durar muito tempo. Após o sol se pôr, eles ficam visíveis somentes algumas horas. No dia seguinte já vão ficando um pouco mais distantes”

“Com a tecnologia, é a primeira vez que vamos ter imagens em alta resolução. Como eles vão estar em conjunção, é útil para experimentos de comparação de tamanho, determinação de distância”

O professor doutor Ednardo Rodrigues, coordenador do grupo de Astronomia da Seara da Ciência (GAS-Interestelar), indica a observação acima da linha do horizonte e contextualiza o fenômeno como proximidade do ponto de vista terrestre. “Conjunção é um fenômeno astronômico de quando dois astros ficam próximos do nosso ponto de vista. Nesse caso, Júpiter vai bem ficar próximo de Saturno, do nosso ponto de vista, entretanto eles estão muito distantes”, frisa.

Como acompanhar?

Uma ferramenta para ajudar na localização do evento astronômico é conhecida como carta celeste. A pedido do Sistema Verdes Mares, o professor Ednardo Rodrigues, da Universidade Federal do Ceará (UFC) ajustou o tipo de mapa com a localização de Fortaleza para observação no dia 21 de dezembro, quando a visualização será melhor.

Após imprimir o documento, basta colocar o braço direito para o lado que nasce o sol e você estará de frente para o Norte e poderá se localizar com a carta celeste.

Não há definido o melhor horário específico, mas a ferramenta pode ser usada logo no início da noite. Com a carta celeste você também poderá identificar constelações.

“É o momento em que astrônomos do mundo todo vão aproveitar para fotografar os dois maiores planetas gasosos do sistema solar de uma vez só”

Devido à raridade do evento astronômico, profissionais e amadores se planejam para a observação de acordo com as condições climáticas. “Esse evento acontece desde a Pré História do planeta e é registrado desde a Idade Média, quando se tem um grande avanço na astronomia. Normalmente, quando a gente tem uma conjunção dessa, nós utilizamos para fotografar ambos, mas a fundamentação científica só tem grande valia quando ocorre ocultação”, pondera o professor.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza