Doações de sangue diminuem no Ceará com pandemia; saiba como doar

Apesar da redução de doadores, o Hemoce conseguiu suprir a necessidade local e até enviou bolsas para outros estados

Foto Hemoce
Legenda: O impacto da diminuição dos números é considerado pequeno, tendo em vista a situação atípica que começou em 2020
Foto: Thiago Gadelha

Em 2020, as doações de sangue no Hemoce diminuíram cerca de 8% em comparação ao ano anterior. De janeiro a dezembro do ano passado, o Ceará registrou 92.524 doações, enquanto 101.066 bolsas de sangue foram coletadas em 2019. No entanto, a redução não comprometeu o atendimento, uma vez que a instituição conseguiu suprir a necessidade local e até enviou bolsas para outros estados, como São Paulo, Minas Gerais, Sergipe e Paraná, que foram afetados pelo período de isolamento social.

O impacto da diminuição dos números é considerado pequeno, tendo em vista a situação atípica que começou em 2020. Segundo a coordenadora de captação de doadores do Hemoce, Nágela Lima, o órgão havia acabado de sair de uma campanha de doações bem sucedida, quando a pandemia estourou no Estado. Aliado a isso, foram desenvolvidas ações que estimularam a assistência da população.

“A gente conseguiu manter o estoque no nível considerado seguro durante todo o ano graças à solidariedade da população cearense. Realmente foi necessária a questão do isolamento, mas foi um número considerado muito baixo, não tivemos nenhuma consequência”, comemora Nágela Lima.

Medidas sanitárias

A ações incluem todo o sistema de higiene nos centros do Hemoce, como a disponibilização de álcool em gel, distanciamento e uso de máscaras. Implantadas desde março, essas medidas, conforme Nágela, fizeram com que os doadores se sentissem mais confortáveis e continuassem indo às sedes.

“Adotados também a ferramenta de agendamento. Isso trouxe muita segurança para a população e vem dando muito certo. A doação pode ser agendada em qualquer unidade do Estado. Além das estratégias, adotados o nosso programa de coleta externa, a gente leva o Hemoce mais perto da população e facilita o acesso”, explica. Nas redes sociais, o órgão desenvolve um trabalho de conscientização, que também foi responsável pela continuidade da contribuição.  

O estudante Fábio Albuquerque, 20, costuma doar sangue a cada dois meses. Ele conta que a pandemia atrapalhou o seu planejamento porque foi contaminado pelo vírus em março do ano passado, ficando doente por pouco mais de 1 mês. Após a recuperação, Fábio continuou contribuindo e totalizou 4 doações em 2020. Neste ano, ele já fez a primeira doação e pretende seguir da mesma forma. “É uma questão de empatia com o próximo, é questão de solidariedade. Aconselho todos a fazerem o mesmo, o que falta hoje na maioria das pessoas é a empatia”, comenta. 

Agendamento

Nágela frisa que as ações implementadas em 2020 continuam em 2021. O agendamento pode ser feito no Portal do Doador ou no WhatsApp de cada unidade do Hemoce. “A doação é necessária todos os dias, não somente em campanhas, feriados. Esse é um trabalho educativo justamente para fazer com que a população saiba a importância dessa doação voluntária”, afirma.   

Requisitos para doação

  • Estar em boas condições de saúde
  • Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos 
  • Pesar no mínimo 50kg
  • Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas
  • Estar alimentado, evitando alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação
  • Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial

Menores de 18 anos precisam apresentar termo de consentimento, disponível no site do Hemoce, assinado por pais ou responsáveis. Para mais informações no site www.hemoce.ce.gov.br ou nos números (85) 3101.2296 e 9.9681.7597

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza