Crianças são deuses

E se as crianças forem deuses? É isso, acho que são pequenos deuses, com leis próprias, donos do tempo, capazes do impossível. E como são fortes, poderosos e ávidos por mais vida e amor os pequeninos anjos, mensageiros da paz. É a calmaria para a alma, mas não aquieta as pernas e braços dos pais.

As bocas que aprendem a mastigar de tudo um pouco, logo querem descobrir, do mundo, um pouco de tudo. Como deuses que são, intrigam sem perceber. Transformam uma resposta simples em complexa reflexão sobre o tempo que somos. E, no fundo, claro, têm razão.

Tento transmitir o amor que recebi do meu pai, hoje muito mais avô. Ele também tem razão. Os mais velhos reconhecem anjos e deuses com mais facilidade.

Há tantos e diferentes filhos-deuses. Da minha pequena gente, cuido com o amor que ela mesma me ensinou. Cumpro a missão que me foi confiada antes mesmo de sabê-la de largos olhos e boca miúda.

Houve um sonho. Eu caminhava-voava até uma energia toda branca. Não tinha forma, mas transbordava de conteúdo. Senti com os ouvidos da alma que, a partir daquele momento, entraria na minha vida um ser especial. Depois, tudo fez sentido, afinal, a vida vale a pena.

Um dia me disseram que os filhos são seres celestiais. Não, mais que isso. Eles são o próprio céu, criadores de um Universo raro, que subverte a realidade e nos força a enfrentar velhos medos e novos desafios. Ensinam que, apesar do temor, os braços merecem o vento, antes do abraço. Subir é preciso. Voar também.

Oro para ti, filha, deusa de mim!


Categorias Relacionadas


Redação 02 de Julho de 2020