Covid-19: já são mais de 272 mil diagnósticos positivos e 9.326 mortes no Ceará

Número de casos notificados da doença já se aproxima dos 849 mil, no Estado.

O Ceará acumula 272.290 casos confirmados e registra 9.326 óbitos causados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia. E até a tarde de hoje (28), o Estado, já notificou 848.940 casos da doença. Os dados são da plataforma digital IntegraSUS, administrada pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) e atualizada às 17h28, desta quarta-feira (28).

 

Nas últimas 24h, a Sesa não registrou óbitos em decorrência da Covid-19 no Ceará. A taxa de letalidade da doença, relação entre o número de casos e mortes, é de 3,4%. 

Ainda segundo a plataforma, são 48.776 casos e 593 mortes em investigação. Além disso o IntegraSUS também informa que foram realizados 955.368 exames para detecção do vírus Sars-Cov-2 e já são 239.559 recuperados da doença pandêmica no Estado.

Quanto à taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), no Ceará, está em 57,79% e a taxa de ocupação de leitos de enfermaria está em  33,7%. Os dados são da atualização das 17h02, dos indicadores de internação por Covid-19.

Incidência de casos 

As cidades que maior incidência de casos, no Ceará, são: Acarape (12.860,9), Frecheirinha (10.858,4), Crateús (8.165,3), Groaíras (7.210) e Quixelô (6.910,6).

Municípios 

Fortaleza, a porta de entrada do vírus no Estado, concentra 55.193 casos confirmados e 3.954 mortes. Em seguida, temos Juazeiro do Norte, na Região do Cariri, com 16.145 registros de infectados e 298 óbitos.

Sobral, na Região Norte, terceira cidade em destaque, contabiliza 12.563 diagnósticos positivos e 315 óbitos causados pela Covid-19. O quarto lugar na lista é Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), que acumula 7.436 ocorrências da doença e 270 óbitos.

A quinta cidade em destaque, é o Crato, com 7.268 diagnósticos positivos e 100 falecimentos em decorrência da doença pandêmica.

Os números divulgados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detecção da presença do vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza


Redação 22 de Novembro de 2020