Covid-19: 66,1% dos estudantes infectados no Ceará têm entre 15 e 19 anos

Entre os mais de 5,8 mil alunos que contraíram o vírus, 3.901 estão nesse faixa etária

Legenda: Nesse recorte etário, especificamente, predominam as pacientes do sexo feminino que contraíram a doença, sendo 2.141. Do sexo masculino, foram 1.760.
Foto: Camila Lima

Em meio às discussões e decisões do Governo Estadual acerca da retomada de aulas presenciais, o Ceará registra um número elevado de estudantes contaminados pela Covid-19, com 5.895 casos. Entre esse grupo, predominam os jovens com idades entre 15 e 19 anos: são 3.901 pacientes com esse perfil, o que representa aproximadamente 66,1% do total.

Os dados foram obtidos através da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), na atualização de 10h27 dessa segunda-feira (26). Nesse recorte etário, especificamente, predominam as pacientes do sexo feminino que contraíram a doença, sendo 2.141. Do sexo masculino, foram 1.760.

“Isso não foi visto só aqui, mas na Europa também, principalmente na Inglaterra e na Espanha. Eles começaram a ver essa faixa etária de jovens que começaram a voltar à rotina normal, com festas, principalmente onde tem aglomerados. Está tendo muito isso”, confirma Melissa Medeiros, infectologista do Hospital São José (HSJ). 

O segundo grupo de estudantes com maior número de casos no Ceará, ainda conforme o IntegraSUS, são aqueles com idades entre 20 e 24 anos. Ao todo, somam 598 casos confirmados. 

A médica cita o alto número de jovens infectados como um dos fatores que justificam o fato de os hospitais não estarem tão sobrecarregados nesse momento, uma vez que pacientes nessa faixa etária não tendem a evoluir para casos mais graves. “Têm pouquíssimos sintomas, bem superficiais, ficam em casa, tratam em casa mesmo e é tranquilo”, explica. 

Medeiros acredita, ainda, que a conscientização sobre a importância dos cuidados com higiene e distanciamento social não está alcançando esse grupo em questão. "Temos que começar com os adultos, porque esses jovens vivem com os pais, com os tios, os avós, mas precisa haver uma certa responsabilidade deles, também”, destaca. Ela reforça que, embora não cheguem a desenvolver sintomas graves da doença, esses estudantes podem transmitir o vírus para as pessoas mais velhas com quem tenham contato.  

“Esse é o nosso medo. Já começamos a ver mais atendimentos, mais internações, claro que não está sobrecarregado como da outra vez, nem de perto. Mas com certeza (os jovens) são um fator para aumentar o número de casos e transmitir a doença. Temos que puxar esse grupo para a responsabilidade social que eles têm, é uma questão de cidadania”, avalia.

Volta às aulas

Estudantes de escolas privadas que cursam séries entre o 3º e o 8º ano do ensino fundamental poderão retornar às aulas presenciais terça-feira, 3 de novembro, segundo a presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Ceará (Sinepe), Andréa Nogueira. O retorno presencial de instituições da Região de Saúde de Fortaleza foi autorizado nesse domingo (25) pelo governador Camilo Santana.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza