Coronavírus: UFC suspende atividades com mais de 100 pessoas e estuda implementar aulas remotas

Medida foi tomada em reunião do comitê, nesta sexta-feira (13)

Escrito por Redação,

Metro

A Universidade Federal do Ceará (UFC) decidiu hoje (13), em reunião do Comitê de Gerenciamento de Crise sobre o Novo Coronavírus, algumas ações a serem tomadas visando prevenir a transmissão do novo coronavírus (Covid-19), entre elas suspender todas as atividades que reúnam mais de 100 pessoas.

A medida impacta nos Encontros Universitários, sediados pela UFC, que aconteceriam entre os dias 1 e 3 de abril de 2020 e foram adiados para maio deste ano. Entre as decisões tomadas pelo comitê, a instituição informou que avalia a implementação de aulas remotas. 

"Recomendamos que, a critério da direção de cada unidade, seja iniciado planejamento remoto das atividades acadêmicas e administrativas de modo a reduzir os encontros presenciais, evitando impactos no calendário acadêmico, que segue sem alteração", explica o ofício emitido após a reunião. Também estão suspensas de viagens internacionais e visitas de pessoas oriundas do exterior a Universidade.

Coronavírus no Ceará

O Ceará não tem casos confirmados do coronavírus (Covid-19). O último boletim -atualizado, na quinta-feira (12), pelo Ministério da Saúde, informou que o Ceará investiga 20 casos suspeitos de coronavírus, estando todos os pacientes em isolamento domiciliar. Fortaleza lidera com 15 casos supeitos, seguida por Crato (2), Aquiraz (1), Caucaia (1) e Quixadá (1). Outros 62 casos foram descartados, totalizando 82 notificações da doença em todo o território cearense.

Medidas de prevenção

Na última quinta-feira (12), a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) anunciou medidas na estrutura da rede pública como ações de prevenção em caso de confirmação da doença. Foram liberados R$ 45 milhões para compra de insumos hospitalares e tratamento de pacientes. O Governo do Estado também vai expandir os leitos de retaguarda e de UTI em Fortaleza e no interior.

Isolamento

O Ministério da Saúde recomentou, nesta sexta-feira (13), que os viajantes que voltam do exterior, para o Brasil, devem ficar em isolamento domiciliar, mesmo que estejam sem sintoma. O órgão afirmou que as pessoas devem passar 7 dias em casa, caso estejam sem sintomas.  Se, durante a isolação, esses viajantes sintam falta de ar ou febre com tosse, devem procurar uma unidade de saúde. As pessoas com sintomas devem ficar isoladas durante 14 dias.

 

Assuntos Relacionados