Ceará terá plantão 24 horas para reduzir fila de 30 mil cirurgias eletivas

Informações são divulgadas durante coletiva nesta quarta

Instrumentos cirúrgicos sobre a mesa durante realização de procedimento
Legenda: O programa visa agilizar o atendimento à demanda por cirurgias eletivas reprimida pela segunda onda da Covid-19 no Ceará
Foto: Agência Diário

O governador Camilo Santana (PT) anunciou, nesta quarta-feira (20), investimento de R$ 100 milhões para a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) implantar o “Plantão Cirurgia 24 horas” em todo o Ceará. O programa prevê a celeridade do atendimento de cirurgias eletivas — reprimidas em razão da pandemia de Covid-19. Cerca de 30 mil pessoas aguardam na fila. 

Serão prioridades os procedimentos de traumas e acidentes vasculares. As informações foram divulgadas durante coletiva de imprensa, nesta manhã, no Hospital Leonardo Da Vinci, em Fortaleza.

Momento em que as pessoas estão reunidas na solenidade
Legenda: Na manhã desta quarta, o governador Camilo Santana, secretário Marcos Gadelha, gestores do Hospital Estadual Leonardo Da Vinci, do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar e deputados estaduais participaram do lançamento do programa
Foto: Nícolas Paulino / SVM

O programa prevê a contratação de empresas para atendimento cirúrgico de média e alta complexidade para complementar o serviço que já ocorre nas unidades da Sesa.

A plataforma Saúde Digital será utilizada para a organização dos procedimentos, incluindo o histórico do paciente e a posição na fila. O sistema estará disponível para acompanhamento a partir desta quinta-feira (21). 

A estimativa é que 30 mil pessoas estejam aguardando procedimentos de alta e média complexidade. Desse total, 20 mil serão realizados em equipamentos da Sesa. O restante (10 mil) das cirurgias ocorrerá em entidades privadas ou filantrópicas contratadas pelo Estado. Segundo Camilo, "a meta é zerar" a fila. 

Dentre as especialistas contempladas estão:

  • Urologia
  • Otorrinolaringologia
  • Ortopedia
  • Ginecologia
  • Cirurgia Geral
  • Pediatria
  • Oftalmologia
  • Neurologia
  • Vascular
Em razão do agravamento da crise sanitária, a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) recomendou a suspensão de cirurgias eletivas e serviços ambulatoriais em fevereiro último. Após cinco meses, em julho deste ano, os procedimentos voltaram a ocorrer, mas de forma gradual.  

Como será o programa 

O serviço de cirurgias eletivas, que hoje é realizado em equipamentos da Sesa, também ocorrerá em hospitais privados a serem contratados pelo Governo do Ceará. Assim, a expectativa é que a fila ganhe velocidade. Dos 30 mil que aguardam, 10 mil serão atendidos nestas unidades particulares.  

Como saber quando e quem será chamado primeiro 

As pessoas que já aguardam na fila poderão acompanhar a posição na plataforma Saúde Digital. Segundo a Sesa, o sistema é voltado somente para acompanhamento e estará disponível a partir desta quinta-feira (21). Sobre os critérios, os primeiros a serem atendidos serão pacientes de traumas e acidentes vasculares. 

Quando começa e em quais municípios 

Conforme o secretário de Saúde, Marcos Gadelha, o serviço já ocorre nos hospitais da rede pública estadual. A mudança, portanto, é o reforço com a contratação de hospitais privados.

Segundo o governador, o edital para contratar unidades de saúde particulares será lançado "nesta semana". Não há informação, contudo, de prazos e metas diárias. Camilo frisou, durante coletiva, que o programa cobrirá todo o Ceará.  

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza