Ceará tem 16 pesquisadores na lista de mais influentes do mundo

Listagem traz 160 mil nomes importantes para a ciência separados em dois rankings

Legenda: UFC tem maioria dos cientistas influentes em lista
Foto: Thiago Gadelha

Um levantamento feito anualmente pela revista Plos Biology mostrou os 160 mil pesquisadores mais influentes do mundo, entre os quais 16 são professores de instituições cearenses, sendo que um dos docentes já morreu. No banco de dados, existem dois rankings: um apresenta o impacto do pesquisador ao longo da carreira e o outro do impacto deles no ano de 2019. É importante frisar que nos dois rankings, existem nomes que se repetem.

No primeiro, sobre o impacto ao longo da carreira são 9 cearenses e 600 instituições brasileiras citadas. Oito pesquisadores são da Universidade Federal do Ceará (UFC), sendo eles: Aldo Ângelo Lima, Jorg Heukelbach, Daniel da Costa, Vietla Rao, Fabiano Fernandes, Luiz Drude, Sueli Rodrigues e Ronaldo de Albuquerque Ribeiro (já falecido). E um da Universidade Regional do Cariri (Urca), Henrique Douglas Melo Coutinho.

Já na listagem dos mais influentes ao longo do ano de 2019, são 13 da UFC, dos quais sete deles se repetem em relação ao primeiro ranking, e mais 6: Antônio Gomes de Souza Filho, André Lima Férrer de Almeida, Cristiano André Köhler, Flávia Almeida Santos, Joaquim Albenisio Gomes Silveira e Luciana Rocha Barros Gonçalves.

Os professores Henrique Douglas Melo Coutinho, da Urca, e José Cleiton Sousa dos Santos, da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) também estão nesta lista.

Henrique Douglas: Inspirado pelas histórias em quadrinhos

Natural de João Pessoa, na Paraíba, o professor Henrique Douglas teve toda a sua carreira acadêmica trilhada em sua terra natal, na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Desde o bacharelado em Ciências Biológicas, passando pelo Mestrado em Genética e seu Doutorado, em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos. A paixão pela ciência já despontava quando ainda era adolescente. Animado, o hoje adulto conta que sua principal influência veio das histórias em quadrinhos, e que o fato sempre causa estranheza quando ele comenta. “As histórias em quadrinhos definiram minha linha de interesse primário, que, no caso, é genética. Eu sempre gostei muito dos X-Men, e eles me guiaram a pesquisar mutações”, detalha.

No primeiro semestre do curso, ele começou a estagiar em um laboratório com genética humana. Quando estava no Mestrado, o professor passou em um concurso para ser docente na Universidade Regional do Cariri (Urca) e desde 1998, mora no Ceará. Atualmente, sua linha de pesquisa é a do seu Doutorado: trabalhar a resistência a antibiótico e o uso de produtos naturais no controle de bactérias patogênicas.

“Trabalhamos exatamente com isso, com produtos naturais e substâncias que conseguem potencializar a ação de antibióticos. Trabalhamos também com produtos, de substâncias que são capazes de diminuir a toxicidade de metais tóxicos, que são liberados no ambiente como resultado da poluição industrial”, explica.

Henrique também é coordenador do Laboratório de Microbiologia Molecular, da Universidade Regional do Cariri (Urca), sou coordenador do programa de pós-graduação em química biológica da Urca, sendo também líder do grupo de pesquisa de microbiologia aplicada, que é ligada ao CNPQ. Ele comenta que, ao saber da notícia que estava entre os pesquisadores mais relevantes do mundo, ficou muito orgulhoso. “Primeiro, porque na mesma lista, eu tenho vários ex-professores meus, que foram muito importantes na minha formação e é um orgulho estar na mesma lista que eles. E fiquei ainda mais orgulhoso por estar aparecendo na lista, levando o nome da Urca”.

Sueli Rodrigues: A única mulher representando o Ceará no primeiro ranking

Sueli, professora
Legenda: Sueli Rodrigues é a única professora cearense na listagem dos professores com maior impacto.

Em 2004, a paulista Sueli Rodrigues veio para as terras cearenses ser professora do Departamento de Engenharia de Alimentos, da Universidade Federal do Ceará (UFC). Diferente do professor Henrique, Sueli teve seu interesse pela pesquisa despertado na universidade. Durante a graduação em Engenharia Química, na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), ela foi bolsista de iniciação científica. A partir disso e da convivência com o ambiente científico durante a graduação ela se apaixonou pela pesquisa.

“Eu conheci muito o funcionamento da universidade, tive oportunidade de trabalhar com vários professores, tanto na graduação quanto no meu trabalho como técnica e isso me despertou o interesse pra vida acadêmica. Eu estagiei numa empresa e eu consegui ver os dois lados, o do trabalho e o lado da academia. E optei por continuar na academia”, explica.

Ela fez o Mestrado e Doutorado na Unicamp, veio para o Nordeste ser bolsista na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), e depois se tornou professora no Ceará, para trabalhar no Departamento de Engenharia de Alimentos. Na lista que apresenta, os professores com maior impacto ao longo da carreira, ela é a única mulher representando o Ceará. Sueli comenta que ficou “muito contente em saber que as pesquisas estão impactando no avanço do conhecimento mundial e que a UFC tem professores de nível internacional”, e que ela ser a única mulher na listagem, mostra que “mulheres são também bons profissionais em suas áreas de atuação”.

Luiz Drude de Lacerda: há mais de duas décadas no Ceará

Legenda: Luiz Drude está há 21 anos no Ceará e afirma que estar nesse ranking não é uma vitória apenas sua, mas também da Instituição da qual faz parte.
Foto: Ascom UFC

O carioca Luiz Drude de Lacerda fez, desde bacharelado em Ciências Biológicas até o Mestrado e Doutorado em Biofísica, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas há mais de duas décadas está no Ceará como professor titular da Universidade Federal do Ceará e há 30 anos desenvolve pesquisa sobre problemas ambientais ligados à mobilização e toxicologia.

O também diretor da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), ressaltou que seu nome estar presente na listagem internacional, é uma vitória partilhada entre ele e as instituições científicas que investem em pesquisa. “Isso é muito importante. É o resultado de um investimento em longo prazo em ciências que tem dado esses frutos”.

“É uma coisa muito importante, porque você ultrapassa fronteiras regionais e internacionais. Padrão internacional de ciência aqui no Ceará. Não tem porque a gente não ser igual a outros lugares do mundo. O principal é justamente uma sinalização de que não só é possível, como é absolutamente provável, que a gente conte como pontes para a ciência do mundo. O mundo está interessado no que a gente faz”, conclui.

Confira os nomes dos professores citados na lista:

Universidade Federal do Ceará (UFC)

    Aldo Ângelo Moreira Lima, do Departamento de Fisiologia e Farmacologia
    Daniel Benevides da Costa, do Curso de Engenharia da Computação do Campus de Sobral
    Fabiano André Narciso Fernandes, do Departamento de Engenharia Química
    Jorg Heukelbach, colaborador do Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública
    Luiz Drude de Lacerda, do Instituto de Ciências do Mar (Labomar)
    Ronaldo de Albuquerque Ribeiro (falecido em 2015), do Departamento de Fisiologia e Farmacologia
    Sueli Rodrigues, do Departamento de Engenharia de Alimentos
    Vietla Satyanarayana Rao, colaborador do Departamento de Fisiologia e Farmacologia
    André Lima Férrer de Almeida, do Departamento de Engenharia de Teleinformática
    Antônio Gomes de Souza Filho, do Departamento de Física
    Cristiano André Köhler, colaborador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas
    Flávia Almeida Santos, do Departamento de Fisiologia e Farmacologia
    Joaquim Albenisio Gomes Silveira, do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular
    Luciana Rocha Barros Gonçalves, do Departamento de Engenharia Química

Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab)

    José Cleiton Sousa dos Santos, do pós-Doutorado em Engenharia Química

Universidade Regional do Cariri (Urca)

    Henrique Douglas Melo Coutinho, do Departamento de Química Biológica

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza